Menu
16 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Petroquímica

Incêndio destrói galpão de petroquímica

Empresa passará por pericia para confirmar regularização

20 Jul2017Elaine Silva - Especial para Diário Digital10h25
(FOTO: Luciano Muta)
  • (FOTO: Luciano Muta)
  • (FOTO: Luciano Muta)
  • (FOTO: Luciano Muta)

O armazenamento incorreto de produtos altamente inflamáveis, pode ter sido a causa do incêndio na empresa Carandá Petroquímica e Serviços, localizada na avenida Jamil Nahas, no Indubrasil, em Campo Grande. O caso aconteceu nessa madrugada (20), por volta das 2h30 e foi controlado por volta das 7h. O Corpo de Bombeiros ainda não informou o motivo.

Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros, Vinicius Gonçalves,  o galpão servia como depósito de solventes e tinha cerca de 500 a 600 tambores do produto. “O produto químico é caráter de risco, qualquer coisa que aqueça perto deles pode ser de risco, como exemplo uma vegetação que esteja pegando fogo próximo, um cigarro entre outros. O incêndio já foi controlado está sendo feito o rescaldo para que a perícia possa trabalhar. Existe uma regulamentação de uma quantidade de metros de distância de um produto a outro. ”, afirma o tenente.   

Para controlar as chamas foi encaminhado dois caminhões tanque mais uma carreta, além de utilizar o tanque de água que a empresa possui, sendo aproximadamente 230 mil litros de água. Ainda não foi confirmado se teria um veículo dentro do galpão e nem se a empresa estava irregular. “Uma equipe do Corpo de Bombeiros está vindo até o local, para verificar se a empresa está dentro das normas, mas a principio ela tem todos equipamentos de segurança e o reservatório de água, sendo utilizado pelos militares”, relata o militar.

Caso – O fogo teria iniciado por volta das 2h30 e contralado por volta das 6h. Os bombeiros foram acionados por um vigilante da empresa vizinha. O galpão ficou destruído e a possibilidade de que um veículo tenha sido queimado, mas ainda não foi confirmado.

 As chamas chegaram a atingir cerca de dois metros de alturas, sendo que em alguns momentos ocorreram pequenas explosões, por ser um produto inflamável.  Cerca de oito viaturas foram utilizadas.   Até o fechamento da reportagem a empresa ainda não tinha se manifestado.  

Veja Também