Menu
25 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Polícia

Digitais confirmam que corpo carbonizado é de Alceu Bueno

Crime é investigado pelo Garras como homicídio doloso e ocultação de cadáver

21 Set2016Da redação18h00
Alceu Bueno renunciou mandato de vereador após escândalo da pedofilia (Foto: Izaias Medeiros/Câmara de CG)
  • Corpo carbonizado foi localizado no Parque dos Poderes na manhã desta quarta-feira
  • Alceu Bueno renunciou mandato de vereador após escândalo da pedofilia (Foto: Izaias Medeiros/Câmara de CG)

O Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) confirmou no fim desta tarde, pelas digitais, que o corpo encontrado carbonizado, na manhã desta quarta-feira, dia 21, no Parque dos Poderes, em Campo Grande, é mesmo do ex-vereador José Alceu Padilha Bueno, de 55 anos. A informação foi confirmada pelo delegado titular da Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras) Edilson dos Santos. 

Contudo, antes mesmo da confirmação do Imol, a Polícia Civil já não tinha mais dúvidas sobre a identidade do cadáver. O caso foi registrado como homicídio doloso e ocultação de cadáver.

Durante entrevista coletiva nesta tarde, o delegado informou que nenhuma hipótese está descartada. A polícia vai apurar latrocínio, uma vez que o veículo do ex-parlamentar, uma Land Rover, foi levada, e ainda queima de arquivo, já que Bueno esteve envolvido em escândalo de pedofilia no ano passado. Ele, inclusive, foi condenado em primeira instância a oito anos de prisão em regime fechado. Conforme a sentença, ele teria cometido dois crimes de exploração sexual de vulnerável.

Segundo informações apuradas pela Polícia Civil, a vítima deixou a empresa de sua propriedade na noite desta terça-feira, dia 20, por volta das 22h, e depois não foi mais visto. Às 7h desta quarta-feira, policiais localizaram uma pessoa morta queimada no Parque dos Poderes. O corpo foi encaminhado para o Imol e passou por exames que confirmaram se tratar do ex-vereador no fim desta tarde.

Antes disso, familiares e a polícia já tinham certeza que se tratava do ex-parlamentar, pois, junto ao corpo foi encontrado o aparelho de telefone celular da vítima e a medalhinha que o Legislativo Municipal entrega aos vereadores.  Bueno foi morto por estrangulamento e depois teve o corpo incendiado. Contudo, para a polícia, aquele foi apenas o local da desova do corpo. O homicídio teria ocorrido em outro lugar.

O Garras já tomou depoimento de familiares da vítima e também de testemunhas, cujas identidades não foram reveladas. Os investigadores também já têm em mãos imagens de vídeo colhidas no Parque dos Poderes que devem ajudar nas apurações.

Veja Também