Campo Grande •22 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
ALMS - Gestão para Pessoas

Valdelice Bonifácio e Marcos Tenório, especial para o DD | Quinta, 31 de Agosto de 2017 - 18h00Ex-diretores do Detran depõem aos promotores do GaecoInvestigados permaneceram no local por cerca de quatro horas e saíram em silêncio

  
Ex-diretores do Detran deixaram a sede do Gaeco acompanhados pelos advogados (Foto: Marco Miatelo)
  • Ex-diretores do Detran deixaram a sede do Gaeco acompanhados pelos advogados
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Ex-diretores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) que estiveram presos na Operação Antivírus prestaram depoimento na tarde desta  quinta-feira, 31 de agosto, ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Eles permaneceram no local por cerca de quatro horas e quando saíram nada disseram à imprensa. “Está em segredo de Justiça”, disse o advogado Márcio Sandim.

Estiveram no Gaeco, Donizete Aparecido da Silva (ex-diretor-adjunto), Gerson Tomi (Diretor de Tecnologia) e Erico Mendonça (diretor de departamento). No mesmo momento em que eles depunham aos promotores, Gerson Claro que ocupava a presidência do órgão, concedia entrevista coletiva na governadoria, na qual anunciou o pedido de exoneração coletivo dele e dos demais diretores do Detran-MS.

Gerson negou irregularidades no órgão e disse que agora vai se dedicar a sua defesa. A Operação Antivírus investiga contratos firmados entre o Detran-MS e empresas privadas. A suspeita é de contratações desnecessárias e superfaturadas. Por isso, além dos diretores do Detran-MS, estiveram presos empresários e servidores públicos. Todos estão em liberdade por força de habeas corpus.

Antivírus – A Operação do Gaeco foi deflagrada na manhã de terça-feira, dia 29 de agosto. O alvo principal foi o Detran-MS. Agentes do Gaeco vasculharam a sede do órgão, empresas que mantém contratos com o Detran-MS e residências de servidores públicos e empresários.

Segundo as investigações, os presos faziam parte de organização criminosa voltada à prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, fraude em licitação, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. As investigações começaram em 2015 e tem como objeto contratos celebrados entre empresas da área de tecnologia da informação/informática e o Poder Público Estadual.

Além da cúpula do Detran-MS, outros detidos foram o ex-deputado estadual Ary Rigo, José do Patrocínio Filho, Fernando Roger Daga e Anderson da Silva Campos, sócios e ex-sócio da empresa Pirâmide Informática, Jonas Schimidt das Neves, sócio da empresa DIGITHOBRASIL, o secretário dele Claudinei Mastins Rômulo e Luiz Alberto de Oliveira Azevedo, servidor público estadual lotado na Secretaria de Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

Veja Também
Square Noticias UCDB
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothShop
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento