Menu
19 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Polícia

Estuprador chamava crianças para ver cachorrinhos

Vítimas descreveram tatuagens do agressor que está preso e foi indiciado pelos crime

22 Set2016Da redação19h19
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)
  • Lauro dos Santos Duarte foi indicado pelos crimes e está preso em Maracaju
  • (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
  • (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
  • (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
  • (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um homem de 33 anos está preso sob acusação de ter estuprado crianças na cidade de Maracaju a 162 quilômetros de Campo Grande. Lauro dos Santos Duarte foi indiciado na terça-feira, 20, por cinco estupros de vulneráveis, dos quais três consumados e dois tentados. A polícia suspeita que ele seja autor de outros estupros que estão sendo investigados. Ele está preso no sistema penal do município.

O homem foi capturado no dia 13. Várias vítimas compareceram à Delegacia de Polícia, das quais três crianças reconheceram Lauro como autor dos abusos que sofreu.

O primeiro trata-se de um estupro ocorrido no dia 23/11/2013, no Bairro Paraguai, onde o autor abordou a vítima de 10 anos oferecendo filhotes de cachorro, levando-a até uma construção onde abusou sexualmente da vítima.

Outro crime foi praticado no dia 27/09/2013, no Bairro Nestor Muzzi, no qual Lauro aproveitou-se que a vítima de 11 anos estava sozinha pediu um copo d’água. Ele agarrou a vítima levou até seu quarto e cometeu os abusos.

Mais uma vítima, com 12 anos de idade, reconheceu o homem como autor da tentativa de estupro, ocorrido no dia 16/06/2014. Na ocasião, ele novamente usou do pretexto de levar a vítima para ver filhotes de cachorro em uma construção. Porém, um vizinho notou algo estranho e gritou com o agressor.

Lauro tem várias tatuagens pelo corpo o que facilitou o reconhecimento. Conforme a Polícia, todas as vítimas descreveram tatuagens coincidentes com aquelas que  possui. Também houve relatos de motocicleta Honda Titan, de cor vermelha, que ele possuía na época. Também foi mencionada pelas vítimas uma botina com costura trançada encontrada na residência do autor.

As fotos do acusado foram divulgadas para ajudar outras vítimas a reconhecerem o agressor e procurarem a Delegacia de Polícia Civil de Maracaju. O telefone é (67) 3454-1972.

(Com informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil)

Veja Também