Menu
18 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Crime na Capital

Dez anos após matar ex-esposa na Capital, homem é preso no Paraguai

Aparecida foi estrangulada e seu corpo foi escondido debaixo de um sofá

11 Ago2017Da redação08h26

Há 10 anos Eduardo Dias Campos Neto, hoje com 35 anos, era considerado foragido da justiça brasileira, por ter matado a ex-esposa e escondido o cadáver dentro de um sofá. Na manhã de ontem, 10, ele foi preso durante uma ação conjunta das polícias do Brasil e do Paraguai.

De acordo com as informações do site Maracaju Hoje, Eduardo foi capturado na fazenda Santa Catarina, localizada a 20 quilômetros da cidade Paraguaia a de Toro Pampa, no Departamento do Alto Paraguai.

A prisão dele aconteceu após um ano de investigação envolvendo policiais do SIG – Serviços de Investigações Gerais – de Ponta Porã, os quais contaram com o apoio de Ricardo Alonso, da Divisão de Investigação de Pedro Juan Cavaleiro, capital do Departamento de Amambay, no Paraguai. A Delegacia de Homicídio de Campo Grande também colaborou com as investigações.

Eduardo Neto tinha contra si um mandado internacional de prisão pela morte de sua ex-esposa, Aparecida Anauane Martins de Oliveira, na época com apenas 18 anos de idade.

Aparecida foi estrangulada e seu corpo foi escondido debaixo de um sofá. O fato ocorreu em Campo Grande, no ano de 2007. Na ocasião do assassinato, o corpo da vítima foi localizado pela mãe do próprio Eduardo, três dias após ser assassinada.

Na fazenda onde ele foi localizado, Eduardo era conhecido por Fernando. O mesmo exercia a função de administrador da propriedade, onde havia seis anos que ele vivia com sua atual esposa e um filho.
No momento em que foi abordado, Eduardo, sob a denominação de Fernando, estava conduzindo uma camionete na companhia de outra pessoa. Com ele, a polícia encontrou um revólver calibre 38 e quando policiais disseram seu verdadeiro nome, a princípio ele quis negar, porém, após ouvir dos policiais o motivo de sua prisão, ele começou a chorar e se entregou. Quando começou a chorar ele disse que todos os dias se arrependia de ter assassinado Aparecida.

Eduardo Dias Campos Neto foi levado para a cidade de Pedro Juan Caballero para os procedimentos de praxe, uma vez e tratar de uma prisão efetuada por policiais de dois países distintos, mas, sem muita burocracia, após a tramitação de alguns documentos, o acusado deverá ser extraditado para o Brasil.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER – A notícia do aparecimento do corpo de Aparecida Anauane Martins de Oliveira aconteceu numa data criada para tentar se combater a violência praticada contra as mulheres: 8 de março de 2007.

Aparecida estava “desaparecida” e seu corpo foi encontrado, por volta das 21 horas daquele dia com marcas de estrangulamento, dentro do apartamento dela, no bairro Coophamat, em Campo Grande.

Na ocasião, a Polícia Civil informou que o corpo foi encontrado pela sogra dela no quarto do apartamento. A perícia comprovou a morte por estrangulamento. Os familiares de Aparecida haviam feito um boletim de ocorrência cinco dias antes registrando o seu desaparecimento. Na mesma ocasião familiares desconfiavam de Eduardo, porque Aparecida não queria reatar o relacionamento que mantivera com ele.

Veja Também