Menu
16 de outubro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner CCR-MS Via
Luz da infância 2

De 8 suspeitos de pornografia, 7 foram pegos

Homens presos tem idade entre 23 e 41 anos, um deles foi liberado após pagar fiança

17 Mai2018Luany Mônaco18h30
(Foto: Marco Miatelo)
  • Foram apreendidos inúmeros equipamentos usados para a disseminação da pornografia infantil
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Delegada Marília Brito, responsável pela operação em Campo Grande (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Suspeitos de pedofilia são levados ao camburão (Foto: Marco Miatelo)
  • Suspeitos de pedofilia são levados ao camburão (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A megaoperação “Luz da infância 2” que está sendo realizada em 24 estados e no Distrito Federal prendeu nesta quinta-feira, 17 de maio, em Mato Grosso do Sul, sete dos oito homens suspeitos de possuir, disponibilizar e oferecer pornografia infantil na rede mundial de computadores. Cinquenta e seis policiais estiveram envolvidos na ação para cumprir nove mandados de busca e apreensão em Campo Grande e no interior.

Na Capital são cinco alvos da operação, sendo que quatro estão presos, um não foi encontrado e outro pagou fiança e foi liberado (saiba por que ele foi liberado na matéria).

Todas as equipes encaminhadas para fazer a prisão dos suspeitos foram acompanhas de um profissional de TI (tecnologia da informação) para que todo material possível fosse revisado e apreendido sem maiores dificuldades. Foram pegos na Capital um policial civil de 36 anos, um músico de 23 anos, um técnico de eletrotécnica de 27 anos e um autointitulado playboy de 32 anos que pagou fiança e foi liberado na tarde desta quinta-feira (17). Além dos homens hardwares foram apreendidos para perícia.

No interior todos os acusados foram presos. Um empresário de 41 anos em Dourados, um Arquiteto de 33 anos em Glória de Dourados e um auxiliar de serviços gerais de 33 anos foram apreendidos juntamente com os materiais que usavam para alastrar a pornografia infantil. No interior do estado a Policia Civil teve o apoio da DIP (departamento de inteligência) para fazer a apreensão dos acusados.

A megaoperação foi concluída em 90% no estado do Mato Grosso do Sul e a polícia civil ainda vai fazer a totalização do material apreendido. Foram notebooks, inúmeros celulares, HDs externo, CDs, cartões de memória, CPUs, pen drives, munição e até um Playstation 3 capturados para perícia.

O 8° preso, que não foi pego, teve a residência revirada pelos policiais que levaram alguns equipamentos que tem materiais pornográficos infantis capturados, as investigações para achar este sujeito continuam. As pessoas que estavam na residência na hora da revista não sabiam do envolvimento do sujeito com o crime.

Segundo a delegada Marília Brito as investigações continuam para a captura do 8° suspeito e para a acusação por pornografia infantil do “Playboy” que foi liberado na tarde de quinta. Marília ainda diz que não há algum indício de produção de material pornográfico infantil, e sim que todos os arquivos são armazenados, compartilhados e disponibilizados por estes sujeitos na deep web. Ainda serão feitas investigações para comprovar se os acusados não produziam este tipo de material.

A megaoperação foi escolhida para ser feita agora pois estamos em uma semana emblemática, na sexta-feira (17) é o dia do combate à exploração sexual infantil. A investigação foi feita em conjunto com a DPI (departamento de polícia do interior), DPE (departamento de polícia especializada), DRAP (departamento de recursos e apoio policial) e o DIP (departamento de inteligência) que são departamentos da polícia civil.

Todos os presos, salvo o “Playboy” por enquanto, foram autuados por posse ou disponibilização de materiais pornográficos infantis, a pena para esses crimes varia de um a seis anos de prisão.

Veja Também