Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Esquartejamento

Criminosos do PCC admitem assassinato de rival

Bandidos torturaram, mataram e esquartejaram rapaz de 22 anos na Capital

20 Ago2017Da redação, com TV MS Record12h05
Fernando do Nascimento aparece em vídeo pedindo perdão ao PCC antes de ser executado (Foto: Divulgação)
  • Seis pessoas foram presas durante as investigações do assassinato, três por tráfico de drogas
  • Fernando do Nascimento aparece em vídeo pedindo perdão ao PCC antes de ser executado (Foto: Divulgação)
  • Corpo da vítima foi encontrado esquartejado na quarta-feira passada no Jardim Los Angeles (Foto: Luciano Muta)

A Polícia Civil de Campo Grande esclareceu o assassinato de Fernando do Nascimento dos Santos, 22 anos, e apresentou neste domingo, 20 de agosto, seis pessoas presas durante as investigações do crime. O jovem foi encontrado morto, esquartejado e com o coração fora do corpo na quarta-feira passada, 16 de agosto, no Jardim Los Angeles, na Capital. O rapaz teria afrontado integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) ao se identificar como participante do Comando Vermelho (CV). 

Os três envolvidos diretamente no crime são Uesley de Oliveira Rodrigues, o ‘Mascote’, de 23 anos, Wellington Ferreira de Souza, o ‘Dedinho’, 24, e Danilo Richeli da Silva Fernandes, o ‘Mil Grau’, 18. Eles são apontados como responsáveis pela execução da vítima. Já os outros três detidos, entre os quais duas mulheres estão presos por tráfico de drogas.

Conforme as investigações, Ueslei degolou a vítima, Danilo esquartejou e Wellington filmou toda a ação. O trio admitiu ser integrante do PCC e alegou que a vítima fez ameaças de morte. Eles chegaram a mandar recado ao maior rival a facção, o Comando Vermelho diante das câmeras de televisão na delegacia. “O Comando Vermelho não tem vez na Capital”, disse um dos presos.

A execução de Fernando foi filmada pelos criminosos. Em vídeo, ele aparece pedindo perdão ao PCC e depois é assassinado. A vítima teria sido torturada quase um dia inteiro antes de sua morte e só foi executado após aval da facção, segundo a Polícia Civil.

Conforme a familiares, Fernando que já tinha passagens pela polícia e estava em Campo Grande à procura de trabalho.

Veja abaixo vídeo no qual a vítima pede desculpas ao PCC:

Veja Também