Menu
13 de novembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner - AL/MS - Campanha Mudanças
Meio Ambiente

Casal é preso por tráfico de papagaios

Infratores foram flagrados com 69 filhotes da ave em Ivinhema; filho foi detido por desacato

14 Set2018Da redação13h59
(Foto: PMA/Divulgação)
  • (Foto: PMA/Divulgação)
  • (Foto: PMA/Divulgação)

Depois de apreensão e prisão de traficante de papagaios em Novo Horizonte do Sul, com 47 filhotes no dia 11, hoje (14) de madrugada, Policiais Militares Ambientais de Batayporã prenderam um casal de traficantes com 69 filhotes da ave na cidade de Ivinhema.

Os Policiais costumam manter vigilância aos traficantes detidos em anos anteriores, para evitar o crime e prendê-los caso reincidam, por isso, a prisão do infrator ontem. Ele tem três passagens pelo crime de tráfico de papagaios. Quando a PMA chegou á residência do traficante, depois de levantamentos de que ele estaria com aves, foi recebida pelo seu filho, de 20 anos, que começou a xingar os Policiais. Nesse momento, a esposa do traficante tentou fugir pelos fundos com três caixas, onde estavam os 69 filhotes de papagaios e foi presa.

Ao verificar a mãe detida, o filho continuou a xingar os Policiais e foi detido por desacato. O traficante não estava no local, porém, foi à delegacia de Polícia Civil de Ivinhema, para onde tinham sido encaminhados detidos seu filho e esposa e os animais apreendidos, afirmando que as aves eram suas. Ele também foi detido.

O casal de traficante, a mulher (41) e o marido (57), residente em Ivinhema, foram autuados administrativamente e multados em R$ 34.500,00 cada um. Eles também responderão por crime ambiental e poderão pegar pena de seis meses a um ano de detenção. As aves estão sendo encaminhadas ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), na Capital.

Ficalização - O tráfico de animais silvestres é considerado a terceira atividade criminosa mais rentável, perdendo apenas para o tráfico de drogas e o tráfico de armas. Porém, em Mato Grosso do Sul, o problema se resume quase que especificamente ao papagaio.

Por esse motivo, o período de agosto a dezembro é preocupante com relação ao tráfico de animais silvestres no Estado de Mato Grosso do Sul, pois é o período reprodutivo dos papagaios que é o animal mais traficado no Estado. Nesse período, a PMA mantém trabalhos preventivos nas propriedades rurais para prevenir a retirada dos animais e aliciamentos de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes, para a retirada dos filhotes. Também mantém vigilância em traficantes presos em anos anteriores. Barreiras também são executadas nas saídas para o estado de São Paulo, que é para onde os papagaios retirados têm saído.

Devido a forma de agir dos traficantes, às vezes a PMA não consegue evitar a retirada dos animais e apreende nas operações, quantidades maiores, mas a prioridade é evitar a retirada dos filhotes dos ninhos. Por exemplo: em 2016, 13 filhotes foram apreendidos em uma fazenda, com um funcionário aliciado por traficantes detido em flagrante em retirada dos animais, quando a encomenda feita pelo traficante era de 350 papagaios. O mesmo traficante preso hoje (14) foi detido no ano passado com 34 filhotes de papagaios, três periquitos, um coleirinha e um pintassilgo, quando tinha encomenda para retira 500 filhotes de papagaios. Ou seja, caso a PMA não executasse esse trabalho preventivo nas propriedades rurais, pelo menos 850 animais seriam retirados naquele e, possivelmente, apreendidos nas estradas, ou que chegariam ao consumidor final.

A região principal do problema e que é monitorada é basicamente a que constitui os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. Nessa região, ninhos também são monitorados pelos Policiais, para evitar a retirada dos filhotes, visto que essa é a preocupação maior. A base do trabalho é evitar a retirada dos animais, evitando custos à fauna e ao Estado, tendo em vista os altos custos financeiros, até a reintrodução dos filhotes na natureza.

As Subunidades da PMA que cobrem estas áreas e monitoram também o movimento dos traficantes. Em princípio, para evitar que as aves sejam retiradas e, para reprimir, prendendo os elementos, quando não é possível evitar a retirada dos bichos.

O destino registrado até o momento dos papagaios é o estado de São Paulo. Sabe-se que as aves de lá saem para outros locais, porém, essa informação ainda não é confirmada, pois a PMA não trabalha com investigação. Pela região de saída, verifica-se que os municípios onde o tráfico ocorre são os que ficam próximos a saída para esse Estado. Algumas vezes, a Polícia Militar Rodoviária de São Paulo também efetua apreensões de papagaios retirados de MS.

No ano de 2017 foram apreendidos 345 filhotes de papagaios.

Veja Também