Menu
26 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Polícia

Golpistas trocavam cartões de idosos na Capital

Organização criminosa agia em agências bancárias para roubar dados de conta de idosos

12 Ago2019Byanca Santos - Especial para o Diário Digital18h15

A 1ª Delegacia da Polícia de Campo Grande apresentou nesta segunda-feira, 12 de Agosto, José Sales de Souza que aplicava golpe do cartão trocado em idosos na Capital. Através de operação realizada no sábado, 9 de Agosto, a polícia chegou até o criminoso na hora em que estava aplicando golpe em uma agência bancária.

De acordo com o boletim de ocorrência, imagens de câmeras revelaram que José fazia parte de uma organização criminosa, que aplicava o golpe em vários estados do País. Conhecidos como “cartõezeiros”, os bandidos atuavam desde 2017 na Capital.  

Na hora do flagrante, o comparsa Janderson da Silva Ramos percebeu que José estava sendo preso, fugiu e abandonou o carro locado. Através das investigações, a Polícia Civil descobriu que Janderson tinha uma viagem marcada para Maceió (AL) e ao fazer contato com a Polícia Civil e da Federal do aeroporto de Viracopos, o criminoso foi preso em flagrante.

Golpe - A delegada Priscilla Anuda, da 1ª DP explica que os bandidos aplicavam o golpe em vários bancos da cidade, através da troca de cartão. Os criminosos se passavam por funcionário das agências, auxiliando os idosos pegando senhas e sacando dinheiro, com um extrato que pedia para a vítima cadastrar a biometria, eles levavam até o caixa e observavam toda a movimentação para registrar os dados dos idosos.

"E quando percebia a distração das vítimas eles trocavam os cartões e copiavam as senhas", afirma a delegada Priscilla Anuda. Os cartões entregues eram de pessoas que já tinham caído nos golpes. 

Na hora da prisão, José tinha uma carteira com dinheiro, vários cartões de bancos e extratos que usava para aplicar o golpe. Também foi encontrada uma mala com várias camisetas, que era usadas para não serem reconhecido pelas vítimas.

De acordo com a delegada, somente em Campo Grande ao menos 20 pessoas foram vítimas do Golpe. A organização teria pelo menos mais quatro integrantes, cada um com uma função.

O caso segue em investigação. Janderson e José Sales vão responder por furto qualificado e por organização criminosa.

Veja Também