Menu
6 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Caso Graziela

Buscas duram 5 horas e nada é encontrado

Polícia e Bombeiros fazem varredura em dois locais sem achar vestígios que levem a Graziela Rubiano

21 Mai2020Da redação11h00
(Foto: Marcos Rivany)
  • (Foto: Marcos Rivany)
  • (Foto: Marcos Rivany)
  • (Foto: Marcos Rivany)
  • (Foto: Marcos Rivany)
  • (Foto: Marcos Rivany)

A Polícia Civil, encerrou por volta da 10h30 da manhã desta quinta-feira (21) as buscas por Graziela Pinheiro Rubiano, 36 anos, que está desaparecida desde o dia 5 de abril deste ano. No segundo dia de buscas, os trabalhos duraram cerca de cinco horas. Hoje a varredura foi feita em dois locai na saída para Três Lagoas e com o reforço de cães farejadores do Corpo de Bombeiros. Um dos locais vistoriados foi o Balneário Atlântico onde Graziela foi vista pela última vez na companhia do marido Rômulo Rodrigues Dias, 33 anos, que está preso desde o dia 19 de abril.

Bombeiros, investigadores da Delegacia Especializada de Homicídios e dois cães farejadores participaram dos trabalhos. O primeiro local foi uma área de 30 mil metros quadrados, no Jardim Noroeste onde as buscas começaram por volta das 5h30 da manhã.

Em seguida as equipes seguiram para o Balneário Atlântico, onde foi feita uma varredura em uma área de cerca de 60 mil metros quadrados. Nada foi encontrado. Na noite de quarta-feira (20), a polícia esteve na casa de Graziela no bairro Jockey Clube para fazer teste com luminol. Os peritos encontraram locais onde havia sangue e que foram lavados. De acordo com a polícia há vestígio de uma poça de sangue no quarto, em uma dispensa, no tanque, na pia, em uma toalha e em uma escova de lavar roupas.

Com as amostras recolhidas no local, de acordo com a polícia, será possível saber se realmente trata-se de sangue humano. Em caso de sangue humano, será confrontado o DNA recolhido com o de familiares de Graziela.

O marido de Graziela está preso, já deu três versões para o desaparecimento, mas não confessa ter matado a esposa. Eles trabalhavam no mesmo local onde ele informou que ela não voltaria mais. O marido também não registrou boletim de ocorrência do sumiço de Graziela e quem fez o procedimento de BO foram as amigas dela.

Veja Também