Menu
21 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner FIEMS - Mês da Industria
Capital

Boliviano é preso com cocaína no Aeroporto Internacional da Capital

Droga seria levada para as Ilhas Maldivas

18 Ago2017Da redação17h29

A Polícia Federal prendeu na quinta-feira, dia 17 de agosto, no Aeroporto Internacional de Campo Grande, um cidadão boliviano com aproximadamente 12 kg de cocaína escondidos em uma mala. O homem, de 49 anos, tinha como destino as Ilhas Maldivas, pequeno país que fica localizado ao Sul da Ásia, no Oceano Índico.

A droga seria derivada da cidade de Puerto Quijarro, na fronteira da Bolívia com o Brasil. Quando voltasse, o homem receberia a quantia de US$ 8 mil dólares, o equivalente a R$ 28 mil reais pelo transporte da droga até o país asiático.

Durante ronda de rotina os policiais federais desconfiaram de um homem que estava visivelmente apreensivo, ele carregava duas malas grandes que estavam envoltas em plástico filme de proteção. Ao acompanharem a passagem da bagagem pelo aparelho de raios-X, os agentes detectaram a presença de substância orgânica na estrutura das malas, o que indicava possível presença de droga.

Em seguida, o homem foi conduzido até a sala da PF no aeroporto, onde abriu as malas, ainda negando a posse da droga, ele contou aos policiais que estava indo para um casamento nas Ilhas Maldivas.

 Após o suspeito retirar seus pertences de uma das malas, foi possível verificar que a estrutura havia sido mexida, o que levou os policiais federais a encontrarem um pó branco semelhante à cocaína, fato que foi confirmado após teste rápido, feito no local.

O peso em conjunto da droga e da estrutura da mala totalizou 12,76 quilos, não sendo possível precisar preliminarmente apenas a quantidade do entorpecente.

Na terça-feira, dia 15, o homem viajou de Santa Cruz de La Sierra para a cidade de Porto Quijarro, onde foi procurado por um homem que lhe entregou as duas malas grandes. Ele atravessou a fronteira e viajou de ônibus de Corumbá até Campo Grande, de onde pegaria o voo para São Paulo, de lá para Dubai e, por fim, para Ilhas Maldivas.

O suspeito recebeu US$ 1 mil dólares para os gastos da viagem, o dinheiro foi entregue a ele pelo homem em Puerto Quijarro, o mesmo que prometera os US$ 8 mil quando voltasse.

O boliviano informou que trabalha como corretor de seguros. Disse ainda ser casado e ter dois filhos. Ele foi preso em flagrante pelos crimes previstos nos artigos art. 33 e art. 40, Inciso I, ambos da Lei 11.343/2006.

Veja Também