Menu
26 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Meio Ambiente

Aves silvestres em extinção eram mantidas em cativeiro

Homem foi multado em R$ 64 mil e poderá pegar pena de seis meses a um ano de detenção

10 Ago2019Da redação10h51

Um criador de pássaros foi multado R$ 64 mil por manter aves silvestres em extinção ilegalmente em gaiolas em sua residência, em uma fazenda no Município de Pedro Gomes. O caso foi descoberto em diligência da Polícia Militar Ambiental (PMA) para investigação de denúncia. Os policiais encontraram 29 gaiolas, contendo uma ave em cada uma e armadilhas do tipo alçapão.

Dos 29 pássaros, três eram da espécie Canário-Belga, isentos de controle ambiental conforme legislação. As demais eram silvestres das espécies, sendo um Papagaio, dois Canários-da-Terra, 11 Bicudos-verdadeiro e 15 Curiós. Apenas os Bicudos-verdadeiros e Curiós possuíam anilhas.

As equipes verificaram que as aves pertenciam a um criador autorizado pelo órgão ambiental, residente no centro de Pedro Gomes e também na fazenda. Várias irregularidades administrativas e crime foram caracterizadas.

O criatório era registrado na cidade de Sonora, portanto, os animais não poderiam estar naquele local. Havia animais sem anilhas, indicando que o criador fazia captura e, inclusive, foram encontrados alçapões. 26 aves com gaiolas e três armadilhas do tipo “alçapão” foram apreendidas.

O infrator (47) não estava no local, mas foi identificado por meio de sua companheira e responderá por crime ambiental. Se condenado, poderá pegar pena de seis meses a um ano de detenção. O infrator também foi autuado administrativamente e multado em R$ 64.000,00, tendo em vista que havia animais na lista de espécies em extinção.

Os pássaros foram encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), na Capital.

Veja Também