Campo Grande •14 de Dezembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo do estado - Campanha Transparência Governo

Valdelice Bonifácio | Quinta, 27 de Julho de 2017 - 14h00Assassinos de musicista estão em prisão preventivaTrio é acusado de latrocínio e ocultação de cadáver

  
Luis Alberto foi quem atraiu a vítima para a emboscada que terminou em assassinato e roubo (Foto: Marco Miatelo)
  • Luis Alberto foi quem atraiu a vítima para a emboscada que terminou em assassinato e roubo
  • Mayara Amaral foi morta de forma cruel (Foto: Reprodução/Facebook)
  • Trio foi preso em flagrante após o crime (Foto: Marco Miatelo)

O juiz Ricardo Gabiati decretou a prisão preventiva de Luis Alberto Bastos Barbosa, 29 anos, Ronaldo da Silva Olmeda, 30, conhecido como Cachorrão, e Anderson Sanches, 31. O trio está preso por roubar e matar a musicista Mayara Amaral, 27 anos, na segunda-feira passada, 24 de julho, em um crime premeditado em Campo Grande. A decisão do magistrado foi tomada após audiência de custódia na manhã desta quinta-feira, 27 de julho.

Os três são acusados de latrocínio (roubo seguido de morte) e ocultação de cadáver, crimes que podem render até 33 anos de prisão. O trio está provisoriamente em cela da 5ª Delegacia de Polícia Civil, no Bairro Piratininga. Agora, eles devem ser transferidos para o sistema prisional da Capital.

Luis Alberto foi quem atraiu a vítima para um encontro amoroso no motel Gruta do Amor, na saída para Rochedo, o que na verdade, era uma trama para roubar o carro e os pertences da moça e matá-la. À polícia, ele teria admitido o crime. Já Ronaldo e Anderson negam participação no caso.
Luis Alberto também era músico e chegou a tocar junto com Mayara.

Na noite de crime, Luis, Mayara e Ronaldo estavam no motel. Os dois teriam mantido relações com a moça, com o consentimento dela, segundo alegaram os acusados. A polícia suspeita que a jovem reagiu ao descobrir a emboscada e acabou morta dentro do motel.

Ela teria sido espancada pelos dois homens que usaram até um martelo para mata-la. O apartamento escolhido foi o último do motel, provavelmente para impedir que testemunhas ouvissem a ação criminosa.

Depois do homicídio, o corpo da moça foi colocado no carro da própria vítima e levado para a casa do terceiro envolvido na trama, Anderson Sanches, amigo da dupla. O endereço não foi revelado pela polícia que ainda apura detalhes do crime.

No local, o trio dividiu os objetos da vítima, um notebook, dinheiro e outros pertences. Cerca de oito horas depois, eles decidiram leva-la para a região do Inferninho, na saída para Rochedo, onde o corpo foi desovado pelos criminosos. 

O cadáver foi encontrado na tarde desta terça-feira, 25 de julho, parcialmente queimado. A ideia dos criminosos era ocultar o cadáver e dificultar a identificação da Mayara. Contudo, a polícia conseguiu desvendar identidade e autoria do crime rapidamente garantindo a prisão em flagrante dos suspeitos, agora convertida em preventiva, sem data para terminar.

 

Veja Também
Quadro de saúde de vítima de tentativa de feminicídio continua sem alterações
Adolescente atingida em tiroteio está na área amarela da Santa Casa
Homem acorda com porta de casa pegando fogo na Capital
Homem é preso por suposta participação na morte de ex-presidente da OAB
Policiais dizem que liberaram jovens após vistoria
Identificado homem executado a tiros no Portal Caiobá
Ex-presidente da OAB é encontrado morto
Homem é executado a tiros no Portal Caiobá
Sucuri é capturada pelos bombeiros na avenida Rio Branco
Quatro são presos por furto e porte ilegal de arma
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento