Menu
5 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Campo Grande

Ambulantes reclamam de ação violenta de fiscais em terminal de ônibus

Vendedora ambulante de 65 anos perdeu mercadorias e ainda caiu no chão ficando ferida no joelho

18 Set2019Valdelice Bonifácio e Brenda Leite, especial para o DD16h31
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Vendedores ambulantes que trabalham no Terminal de Transbordo Bandeirantes, em Campo Grande, chamaram a imprensa na tarde desta quarta-feira, 18 de Setembro, para reclamar de suposta violência por parte dos fiscais da Agência de Transporte e Trânsito, a Agetran. Uma idosa que estava com o joelho sangrando disse ter se machucado durante ação dos funcionários da agência.

Conforme um vendedor, os fiscais passam todos os dias pelo terminal. Eles verificam a regularidade dos ambulantes. Porém, nunca dão advertências por escrito ou multas. Hoje, contudo, a ação deixou danos. A ambulante idosa, de  65 anos, disse que seu carrinho foi derrubado durante a confusão. Ela também caiu e machucou o joelho. A mulher alega ter sido empurrada.

“Eles foram embora sem prestar qualquer assistência”, reclamou uma testemunha. A ambulante se levantou com ajuda de outros trabalhadores e de um motorista de ônibus. Ela calcula ter tido prejuízo de cerca de R$ 70,00 com a perda das mercadorias. “Eles chegaram, pegaram a minha caixa e não deram qualquer explicação”, relata a mulher.

A Polícia Militar (PM) esteve no local. Após o tumulto, um grupo de vendedores ambulantes seguiu para a delegacia para registrar Boletim de Ocorrências.

O Diário Digital encaminhou questionamentos para a assessoria de imprensa da Agetran e tentou contato com a diretoria, mas não obteve retorno até a publicação desta nota.

Veja Também

Choque encontra droga enterrada no quintal de residência
Irmãos indígenas são presos por assassinato durante bebedeira
Ação conjunta apreende uma tonelada de droga a caminho de SP e RJ
Bar funcionava como fachada para comércio de drogas
PM que matou professora em acidente nega que estava bêbado
PRF apreende 7.500 maços de cigarros e celulares sem documentação
Polícia Civil apura cobranças feitas para agendamentos de RG
PRF e Receita apreendem mercadorias em hotel de Dourados
Polícia Federal apura suposta fraude em compra de máscaras pela PRF
Polícia Civil prende quarto envolvido na morte do professor