Menu
24 de setembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Victor Center
Nova Andradina

Adolescente confessa ter matado criança de 10 anos

Menino foi morto após reagir a uma tentativa de abuso sexual

14 Mar2018Mariel Coelho, em especial para o Diário Digital.15h49
(Foto: Márcio Rogério/Nova News)
  • Roupas da vítima e do suspeito encontradas na cena do crime.
  • (Foto: Márcio Rogério/Nova News)

O adolescente de 17 anos preso na tarde de ontem suspeito de ter matado Vitor Figueiredo Rodrigues Peixinho, de 10 anos, confessou o crime. Ele disse que matou o menino após ele reagir à tentativa de abuso sexual.

Conforme o Nova News, o suspeito era vizinho da vítima, exatamente na divisa do muro com o telhado onde o corpo do menino foi encontrado. De acordo com delegado André Luiz Novelli Lopes a coincidência levantou suspeita “Tal situação levantou as suspeitas compatíveis à dinâmica do evento, cujo autor só poderia ser alguém daquele meio social e conhecedor da localidade”, pontuou Novelli.

Durante interrogatório, o adolescente contou que passou a madrugada de sábado para domingo na balada no Distrito Industrial e ao amanhecer se dirigiu ao Bairro Argemiro Ortega, onde mora com o pai, e se deparou com Vitor andando na rua, ele abordou o menino e ofereceu um tênis, já com a intenção de abusar dele.

A vítima então entrou na residência, mas que ao perceber que o perigo, o menino reagiu e começou a chorar e gritar. Foi neste momento que para silenciá-lo, o adolescente acabou enforcando Vitor. Ele ainda confessou que não conseguiu consumar o ato sexual com o menino, que apenas retirou a roupa que ele usava.

Ainda, segundo o delegado, uma blusa vermelha pertencente ao adolescente foi encontrada junto ao corpo da vítima. Questionado o motivo de o corpo ter sido encontrado no telhado, o suspeito disse que ele próprio colocou a vítima, já sem vida, sobre os ombros e o colocou sobre o telhado da casa vizinha.

No telefone celular do menor os investigadores encontraram conteúdo de diálogo mantido com sua mãe, no qual expressava preocupação com o ato que havia praticado ao dizer ter matado uma pessoa, não declinando quem, e que precisaria fugir.

O acusado deverá ser recambiado à UNEI de Dourados onde deverá permanecer internado provisoriamente pelo ato infracional cometido.

Veja Também