Menu
26 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Morte de segurança

Acusado volta a afirmar que tiro foi acidente

Polícia realiza reprodução simulada esta manhã na agência

15 Set2016Dayene Paz10h22

Acusado de matar Celso de Jesus Gomes, 40 anos, em março deste ano, Arivaldo Gadea Marcelino, também de 40 anos, participa nesta manhã, 15, de uma reprodução simulada, na agência bancária onde ocorreu os fatos. Ele voltou a afirmar que o tiro que matou o colega durante a troca de plantão, foi acidental.

De acordo com o delegado que está a frente das investigações, Miguel Said, a reprodução simulada irá servir para esclarecer alguns pontos. "Também para entender a trajetória do disparo", afirma o delegado.

No dia 29 de março deste ano, Celso de Jesus teria sofrido um disparo de arma de fogo no local em que trabalha, durante a troca de plantão por volta das 15h, em uma agência do Itaú, localizada na avenida Coronel Antonino. Na ocasião, seu colega Arivaldo Gadea alegou ter perdido o controle da arma, um revólver calibre 38, ao passá-la para Celso, fazendo com que a mesma caísse e realizasse o disparo acidentalmente.

Veja Também