Campo Grande •24 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
ALMS - Gestão para Pessoas

Dayene Paz com TJMS | Quinta, 14 de Setembro de 2017 - 11h19Acusada de matar namorada do ex vai a júri dia 20Crime teria sido motivado porque a vítima estava se relacionando com o ex-namorado da ré

(Foto: Arquivo DD)

Vai a júri popular no dia 20 de setembro, às 8 horas, pela 2ª Vara do Tribunal do Júri, a jovem Thamara Arguelho, 22 anos, acusada de ter assassinado Victória Correa Mendonça. O crime teria sido motivado porque a vítima estava se relacionando com o ex-namorado da ré.

Segundo a acusação, na madrugada do dia 19 de julho de 2016, a ré, após adquirir ilegalmente um revólver calibre 38, combinou de visitar a vítima em sua residência para uma conversa amigável. A despeito do adiantado da hora e das diversas ameaças já feitas pela acusada via Facebook e Whatsapp, a vítima aceitou recebê-la. No meio da conversa, porém, a ré sacou o revólver e efetuou o primeiro disparo no rosto da vítima, a qual tentou fugir, porém foi novamente alvejada nas costas e, por fim, na cabeça, vindo a óbito no próprio local.

O Ministério Público, em razão do exposto, considerou tratar-se de homicídio qualificado por motivo torpe, por não aceitar o relacionamento amoroso de seu ex-namorado com a vítima e por recurso que dificultou a defesa da vítima. O órgão de acusação pediu, igualmente, a pronúncia da ré no crime de porte ilegal de arma de fogo.

Em sua decisão, o juiz Aluizio Pereira dos Santos, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, após a oitiva de diversas testemunhas, entendeu haver indícios suficientes de que a acusada seja a autora do crime, e aceitou a denúncia do Ministério Público em sua integralidade, devendo ser levada a julgamento popular.

O julgamento estava programado para ocorrer no dia 18 de agosto, mas foi adiado a pedido da Defensoria Pública, por motivos internos, porque o Defensor responsável pelo caso não poderia se fazer presente, e a acusada, dentro de seu direito, manifestou ao juízo o desejo de ser defendida por ele especificamente, pois acompanhou todo o seu processo.

A acusada está presa no Estabelecimento Penal Feminino em Corumbá. À época do crime ela estaria grávida do ex. A filha deles permanece com a ré na prisão. O “pivô” do crime, Weverton Silva Ayva, foi assassinado em setembro do ano passado quando saiu da prisão.

Veja Também
SINAPF diz que agente atirou em legitima defesa
Agentes Penitenciários cruzam os braços por melhores condições de trabalho
Jovem morre depois de ser baleado em camarote
Soldado morre depois de leva tiro na Base Aérea
Idoso invade pista contrária e morre em colisão na BR-163
Rapaz é morto a golpes de facão em Corumbá
Pescador profissional é autuado com 84 kg de pescado ilegal
Jovem é executado com quatro tiros em Dourados
Polícia fecha ‘Disque-droga’ em Itaporã
Acusado de matar guarda municipal em Corumbá é solto
Square Noticias UCDB
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento