Menu
5 de abril de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Nacional

Supercomputadores da Petrobras entram no combate ao coronavírus

Equipamentos serão utilizados em parceria com universidade dos EUA

25 Mar2020Agência Brasil19h51

Dois supercomputadores da Petrobras terão parte de sua capacidade de processamento utilizada para realizar simulações em alta velocidade durante pesquisas sobre o novo coronavírus. A parceria será com o departamento de química da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e permitirá a realização de operações em capacidade computacional equivalente à de 3 milhões de laptops comuns.

A estatal informou hoje (25) que destinará à pesquisa 60% da capacidade do supercomputador Santos Dumont, considerado o maior da América Latina, e mais 50% do capacidade do OGBON. Os supercomputadores ficam em Petrópolis, no Rio de Janeiro, e em Salvador, na Bahia.

A colaboração será com o projeto Folding@home, que analisa como o coronavírus se comporta no corpo humano e acompanha a evolução da doença, a partir da interação das proteínas virais. O estudo já conseguiu identificar a estrutura da proteína que conecta o coronavírus às células humanas e pretende abrir caminho para o desenvolvimento de remédios e vacinas.

A estatal estuda ainda uma parceria com a PUC-Rio e o Senai-Cimatec para usar inteligência artificial na diferenciação de um raio-x de gripe comum e de um raio-x de coronavírus. Se possível, a pesquisara encontraria uma forma mais rápida e barata de diagnosticar a doença.

Veja Também

Saiba como higienizar corretamente os alimentos
Conheça as regras para a reabertura do comércio
Mesmo com isolamento, exposição moderada ao sol não deve ser esquecida
Empresa Vetorial doa R$ 60 mil para combate ao coronavírus em Corumbá
Senai conserta respiradores estragados
Casos confirmados de coronavírus já são 65 em MS
Prefeitura adota expediente de cinco horas
Todo mundo vai ter contato com o vírus, diz secretário-executivo da Saúde
Deputados farão sessões por videoconferência
Curso de Química da UFGD produzirá álcool 70% para abastecer HU