Menu
6 de junho de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Recursos

Reinaldo Azambuja tem garantia de Bolsonaro na sanção do projeto de socorro aos estados

Governador participou hoje de videoconferência com presidente e equipe econômica federal

21 Mai2020Da redação11h58

Em videoconferência com os 27 governadores nesta quinta-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro garantiu que vai sancionar “o mais rápido possível” o projeto de lei aprovado pelo Congresso que trata do socorro financeiro aos estados e municípios.

Pelo texto da proposta, o Governo Federal vai destinar R$ 60 bilhões às unidades federativas para ações de combate à pandemia de coronavírus. A medida ainda suspende as dívidas dos estados e municípios com a União até dezembro de 2022.

A garantia do presidente foi dada aos governadores após apresentação de pontos importantes do projeto de lei feita pelo governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que foi escolhido como porta-voz do grupo de governantes.

Entre os pedidos apresentados esteve o veto ao artigo que permite reajuste ao funcionalismo e a sanção integral do dispositivo que diz respeito ao aditamento contratual da dívida de estados e municípios com bancos públicos e privados e instituições multilaterais de crédito.

“Todos os governadores pedem a sanção desse projeto com liberação da primeira parcela ainda no mês de maio. A sanção é fundamental para os estados e municípios, pois estamos vivendo um momento de perda brutal das nossas receitas”, afirmou Reinaldo Azambuja.

“É impossível darmos qualquer aumento salarial agora porque precisamos cuidar da população brasileira como um todo. O momento é de solidariedade e todos nós temos que fazer nossa parte. Estamos fazendo isso pelo bem do País”, completou o governador.

Com a presença dos presidentes do Senado Federal, Davi Alcolumbre, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a reunião foi realizada com tom de harmonia. “Momento histórico onde todos nós estamos assumindo nossas responsabilidades”, disse o senador Alcolumbre.

Ao final da videoconferência, o presidente Jair Bolsonaro falou que a sanção depende de alguns ajustes técnicos, mas assegurou que será no menor tempo possível para mitigar os problemas ocasionados pela crise de saúde. Para ele, “será uma grande vitória ao povo brasileiro”.  A reunião contou com a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, e de mais integrantes do Governo Federal

Mato Grosso do Sul – O projeto de auxílio emergencial vai destinar R$ 702 milhões para MS compensar as perdas de arrecadação em razão da pandemia do coronavírus. Desse valor, R$ 80 milhões são exclusivos para a saúde pública e R$ 622 milhões para livre aplicação.

No rateio nacional, os municípios sul-mato-grossenses ficaram com R$ 461 milhões do bolo, sendo R$ 40 milhões específicos para a saúde pública e R$ 421 milhões para livre aplicação. Ao todo, a fatia de MS do pacote de socorro financeiro é de R$ 1,16 bilhão.

Veja Também