Menu
3 de abril de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Brasil

Bolsonaro inclui atividades religiosas como serviços essenciais

Presidente editou um decreto que inclui quais os setores que não podem parar durante a pandemia do novo coronavírus

26 Mar2020Da redação10h48

O presidente Jair Bolsonaro editou o decreto define aumenta a quantidade ds serviços públicos e atividades considerados essenciais. O texto foi publicado no DOU (Diário Oficial da União) nesta quinta-feira (26). 

Devido à pandemia do coronavírus, estados e municípios passaram a determinar o fechamento de serviços não essenciais por um prazo, normalmente, de 15 dias. A alteração no decreto de Bolsonaro acrescenta alguns setores que não podem ser fechados, como unidades lotéricas, atividade judicial, religiosa, de pesquisa e fiscalização de trabalho. 

O texto também afirma que, para restrição do transporte intermunicipal, "o órgão de vigilância sanitária ou equivalente nos Estados e no Distrito Federal deverá elaborar a recomendação técnica e fundamentada". 

Veja Também

Mais dois casos suspeitos de Covid-19 são descartados em Corumbá
Mais de 3 mil pessoas passaram nas barreiras sanitárias em MS
Ônibus circularão das 5h às 21h30 só com passageiros sentados
Senado aprova projeto que muda regras durante pandemia
Parque vira polo de atendimento da COVID-19
Sesc Morada terá 2º happy hour digital, com a banda On The Road
Condutor pode trafegar sem placa, mas deve portar documento
Brasileiros repatriados da Bolívia chegam a Corumbá
Casos de Covid-19 estão em áreas nobres
MS reage à crise do coronavírus com mais de 60 medidas