Reportagem Especial

Ellen Genaro ensina o poder do Sagrado Feminino

Premiada jornalista se redescobriu ao buscar sua essência feminina e hoje ajuda outras mulheres e homens

Ellen Genaro Lemos. O nome é conhecido assim como o rosto e a voz. A jornalista de televisão e rádio já alcançou o auge profissional ocupando cargos de chefia e ganhando muitos prêmios, inclusive, nacionais. Porém, há uma nova faceta ainda oculta do grande público, mas que revela uma profunda transformação na vida pessoal e carreira. Ela se reconectou com seu sagrado feminino, o que a tornou mais leve e feliz.

A mudança foi grande e tão reveladora de novas habilidades que ela passou a ajudar outras mulheres e homens (sim, eles também podem e devem se reconectar com sua essência) a trilharem o mesmo caminho, no qual a jornalista encontrou a libertação de complexos, medos, dores físicas e na alma. Hoje, Ellen dedica parte do seu tempo -- em uma rotina ainda cheia de compromissos -- ao trabalho como terapeuta.

“O sagrado feminino é um antigo conceito que estamos resgatando. Ele já nasceu com as mulheres. Nós temos o poder da criação. Porém, por muitas razões, ao longo da vida a gente perde essa conexão se deixa comandar por uma mente racional. As terapias do Sagrado Feminino, buscam reconectar as mulheres com a intuição que é muito forte nelas”, explica Ellen.

Ellen Genaro, jornalista há mais de 20 anos, professora universitária e terapeuta do Sagrado Feminino - Foto: Marco Miatelo

Porém, a jornalista que hoje fala com doçura sobre sua paz interna não a encontrou facilmente. Até esse reencontro com seu sagrado feminino, ela disfarçava as mágoas por trás da postura altiva e chorava em silêncio. Inclusive, a fase em que mais ganhou premiações em jornalismo e obteve reconhecimento público foi das mais sofridas no privado. Ellen padeceu em seus relacionamentos familiares, sentimentais e profissionais até se convencer que precisava mudar internamente.

“Eu faço terapia há 13 anos.  Eu era impulsiva, geniosa e teimosa e, por vezes, me colocava na posição de vítima. Meus relacionamentos davam errado. Eu padecia de dores na alma. Demorei a entender que o motivo de tanto sofrimento eram coisas guardadas lá do passado. Eu precisava trabalhar isso”, relembra.

O primeiro passo de Ellen foi buscar as constelações familiares, método terapêutico, considerado uma espécie de psicologia de sistemas familiares que estuda os problemas atuais do indivíduo mirando em possíveis traumas sofridos por gerações anteriores. “Venho de uma família de mulheres italianas muito fortes, que enfrentaram uma imigração para poder sobreviver. Algumas de minhas ancestrais sofreram abusos”, conta a jornalista citando as descobertas de sua caminhada pelas constelações.

Ellen Genaro concedeu entrevista reveladora ao Diário Digital - Foto: Marco Miatelo

Ellen passou a se compreender melhor. “Só aí passei a entender o que acontecia comigo. Eu achava que tinha que ser igual aos homens para ser bem-sucedida e realizada. Eu, na verdade, tinha medo deles e me protegia na força masculina que havia em mim. Porém, isso foi uma cilada, porque eu sufocava a minha feminilidade e, sem saber disso, vivia entristecida”, comenta.

Reconhecendo que sua energia original de mulher estava doente, ela descobriu no Sagrado Feminino a fórmula para se revigorar. Desde o início dos estudos sobre esse conceito, Ellen se deparou com descobertas surpreendentes sobre a necessidade fundamental de manter em alta a energia feminina. "O câncer nas mulheres está completamente relacionado ao sufocamento dessa feminilidade. Entrar na menopausa muito cedo também pode ter ligação com isso, assim como dificuldades para engravidar", ensina.

Essa jornada em busca do próprio 'eu original' fez surgir uma nova Ellen mais serena. A jornalista que é mãe de dois filhos adolescentes viu a convivência com eles melhorar bastante, assim como as relações profissionais. "Eu era muito estressada dentro de casa. Tinha muita enxaqueca e tomava antidepressivos. Hoje, não tomo mais nada. No trabalho, passei a respeitar mais os homens e não tomo mais o espaço deles. Eu era um verdadeiro general", brinca. 

 Grupo de mulheres durante terapia do Sagrado Feminino com Ellen Genaro, antes da pandemia - Foto: Divulgação

A descoberta sobre a natureza masculina também foi uma grata surpresa para Ellen nesta caminhada. "Agora, entendo o quanto os homens gostam de servir. Isso é genuíno deles. Os homens adoram as mulheres femininas. Quando a mulher usa essa energia masculina seja em casa ou no ambiente profissional, cria um embate com os homens. Eles estão muito feridos e oprimidos pelas mulheres. A esposa jamais pode dizer ao marido que não precisa dele. Um homem com autoestima elevada trabalha bem e ganha mais dinheiro", exemplifica.

Nas terapias voltadas para eles, Ellen ajuda-os a retomarem o seu lugar de homens. Segundo ela, em um mundo com mulheres muito fortes, eles se acomodaram. "Muitos deles se minimizaram a 'filhinhos da mamãe'. O homem com autoestima não é o pegador. É o que sabe servir. E a mulher naturalmente é que acolhe. Nós fomos feitas para acolhimento. Uma mulher que tem as forças feminina e masculina equilibradas dentro de si restaura uma casa", ensina. 

Parte das sessões de terapia é feita em contato com a natureza, o que está em perfeita sintonia com as questões conceituais do sagrado. Segundo Ellen, as pessoas precisam tomar consciência do quanto a mãe natureza influencia os humanos. "Nossas emoções mudam conforme as fases da lua", aponta. Exercícios respiratórios e massagens na barriga, para se conectar com o útero, por exemplo, fazem parte do cronograma de atividades.

 Terapias do Sagrado Feminino, com Ellen Genaro, reúnem mulheres de quaisquer idade e formação religiosa - Foto: Divulgação 

Embora seja frequente em usar exemplos bíblicos de mulheres consideradas fortes tais como Ester, Ana e Sara quando se trata de explicar o trabalho terapêutico, Ellen esclarece que o Sagrado Feminino não tem inclinações religiosas. "Eu apenas cito grandes conquistas femininas de mulheres que souberam usar sua essência e feminilidade. Precisamos usar nossa intuição, não só a razão. Isso é valorizar o seu Sagrado Feminino."

Evidentemente, as restrições do período de pandemia de coronavírus limitaram os atendimentos terapêuticos presenciais. Por isso, Ellen elaborou um curso online que será lançado no mês de Junho. Quem deseja acompanhar pode fazer contato com a terapeuta em seu perfil no Instagram, onde ela frequentemente posta vídeos e textos sobre o trabalho. Pelo mesmo canal, ela dialoga e tira dúvidas dos internautas diariamente.

Ellen Genaro e as mulheres atendidas nas terapia do Sagrado Feminino - Foto: Divulgação