Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mato Grosso do Sul

Viabilizado pelo Estado, terminal de Murtinho triplicará cargas em 2017

Viabilização do porto é resultado do empenho em consolidar novas alternativas de transporte por meio de importante modal

26 Set2016Da redação08h04

Reativado em outubro do ano passado, o terminal portuário de Porto Murtinho projeta triplicar o volume de cargas em 2017 e passa a ter papel estratégico no desenvolvimento de Mato Grosso do Sul, que se tornará mais competitivo por meio de uma logística eficiente e de baixo custo. A viabilização do porto é resultado do empenho do Governo do Estado em consolidar novas alternativas de transporte por meio de importante modal.

O Estado conta com estrutura de transporte privilegiada, ao integrar o sistema rodo-hidro-ferroviário, contudo, a falta de investimentos público-privado e a falta de políticas de apoio à produção, fizeram com que o escoamento fosse direcionado para as rodovias, relegando as ferrovias e a hidrovia a um processo de deterioração ao longo de décadas. A reutilização destes modais é prioridade para o governador Reinaldo Azambuja.

Enquanto cobra do governo federal a retomada dos investimentos na malha ferroviária e na Hidrovia do Paraguai e discute com o Paraguai a interligação do corredor bioceânico, Azambuja concentra também esforços para aumentar a competitividade do Estado com políticas de incentivos. A retomada do porto de Murtinho foi precedida do lançamento de um programa estadual de estímulo às exportações e importações por via fluvial.

Ação de governo

O mesmo benefício fiscal (isenção de ICMS) deverá ser estendido aos portos de Corumbá e Ladário, municípios fronteiriços da Bolívia que detém a maior infraestrutura portuária do Estado, responsável por 90% do escoamento da produção de minério de ferro e manganês das reservas de Urucum para os mercados internacionais. “Queremos os nossos terminais extremamente competitivos em relação aos demais portos brasileiros”, afirmou o governador.

Na avaliação do secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, desde que foi reativado, graças à política de desenvolvimento do governo do Estado, o terminal de Porto Murtinho fechou operações de embarque e desembarque significativas que demonstram a viabilidade do local.

“Esse é o papel do governo, oferecer condições de competitividade às indústrias instaladas em Mato Grosso do Sul, seja no processo de produção ou nas operações de exportação e importação e promover o desenvolvimento”, disse Verruck.

Mais empregos

A operacionalização do terminal fluvial não devolveu apenas a Porto Murtinho sua vocação histórica como entreposto comercial na Hidrovia do Paraguai. As perspectivas de crescimento da economia local já são perceptíveis no aumento da receita de impostos, mais empregos e interesse crescente do empresariado em instalar novos empreendimentos no entorno do porto, segundo o prefeito da cidade, Heitor Miranda.

“O recolhimento de ICMS e ISS teve incremento significativo e estamos percebendo a retomada da nossa economia, que estava estagnada. Com o porto, Murtinho voltou a ser um importante entroncamento e saiu do isolamento”, afirma o prefeito. Ele acrescentou que o empreendimento hoje gera 50 empregos diretos e pelo menos 100 indiretos, com reflexos também no aquecimento do comércio em geral.

Veja Também

Sitiante é autuado por manter macaco-prego em cativeiro
Anvisa suspende venda de fraldas Huggies Turma da Mônica
Colisão frontal mata duas pessoas em rodovia
Simted rejeita proposta feita pela prefeitura de Corumbá
Governo do Estado promove 113 PMs a sargento
Campanha do Agasalho do Judiciário é prorrogada até o dia 10 de julho
Castração de gatos no CCZ deverá ser agendada presencialmente
Empresário sugere proibição de fogos de artifício com ruído
Deficientes poderão ser isentos de taxa de inscrição em concursos
Projetos proíbem cursos de graduação a distância na área da saúde