Menu
15 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Homenagem

Vereador vira "orquídea"

Orquidófilo do Paraná homenageou Eduardo Romero

15 Out2019Da redação10h25

Quando uma espécie de orquídea é descoberta na natureza por pesquisadores orquidófilos ou se destaca entre as já conhecidas é catalogada e batizada. Um orquidófilo do Paraná batizou de Cattleya nobilior variação Amaliae 'Eduardo Romero' um exemplar que passa ser matriz para produção de novas plantas. O homenageado é vereador em Campo Grande-MS.

Junior Cesar Corrêa foi quem batizou a espécie com o nome de Eduardo Romero. Ele explica que quando um colecionador de orquídeas descobre uma nova matriz (nativa ou híbrida) ele a batiza com o nome de um homenageado. A planta batizada passa a ser uma raridade e por conta disto colecionadores de várias regiões do País procuram adquirir e trabalhar nas proles futuras buscando manter as características genéticas e melhorar os padrões estéticos.

A Cattleya nobilior variação Amaliae 'Eduardo Romero' é uma prima ou uma subespécie das nativas encontradas no Mato Grosso do Sul, sendo esta variedade encontrada nos estados do Tocantins, Maranhão e Goiás. 'Ela será utilizada como matriz e muita gente já busca por sua prole', destaca o orquidófilo.

Questionado sobre o porquê da escolha do nome para a orquídea, Junior Corrêa explica que acompanha o trabalho de Eduardo Romero pela valorização dos trabalhos dos orquidófilos. Ele aponta o apoio de todos os anos para a exposição estadual e nacional de orquídeas que acontece no mês de agosto em Campo Grande que, inclusive, passou a constar no calendário oficial de comemorações do aniversário do município. É de autoria do parlamentar a lei municipal que instituiu a Cattleya nobilior tipo Campo Grande como flor símbolo da Capital.

O mercado de orquídeas e insumos movimenta milhões por ano. Um melhorista leva, em média, cinco anos para desenvolver uma nova variedade para depois cultiva-la em vasos e vender. A Cattleya é a mais procurada no território nacional.

Eduardo Romero disse que ficou surpreso com a homenagem, embora tenha um histórico com colecionadores de todo País, por meio das exposições de orquídea (nacional e estadual) realizadas em Campo Grande que anualmente apoia e com integrantes da Associação Campograndense de Orquidofilia e Ambientalismo (ACOA), que tem sede em Campo Grande e é presidida por Wenceslau Carlos de Oliveira.

Eduardo Romero explica que não é colecionador de orquídeas, mas tem algumas em casa. Há anos como cidadão e desde que assumiu mandato na Câmara Municipal de Campo Grande busca apoiar os trabalhos dos orquidófilos. ‘Primeiro porque é importante no contexto de preservação de espécies, inclusive muitas delas não são mais encontradas na natureza, mas estão garantidas com colecionadores e segundo porque os eventos que eles promovem, em especial as exposições estadual e nacional, são de grande fraternidade. São sempre humanizados’, frisa.

Wenceslau Carlos de Oliveira, presidente da ACOA, destaca que Junior Corrêa é um jovem promissor colecionador de orquídeas no Brasil e que tem muito a contribuir para o setor. Quanto à homenagem que prestou com a escolha do nome para a orquídea, ele aponta que foi justa e merecida. ‘O Eduardo sempre esteve conosco nas exposições estadual e nacional, que realizamos há 14 anos em Campo Grande. Ele tem prestígio e amizade de colecionadores do Brasil inteiro porque sempre apoia e ajuda a acolher este pessoal quando estão de passagem por nossa cidade’.

 

Veja Também