Menu
19 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Comércio

Comércio comemora aumento de vendas

Aumento deve registrar uma reação após sucessivas quedas

12 Out2017Da redação17h34

Com a recuperação da crise, um dos principais setores têm reagido e dado um fôlego para a economia brasileira. Uma pesquisa divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira (11) mostra que o comércio varejista teve queda de 0,5% no volume de vendas entre julho e agosto deste ano. O resultado, porém, não é ruim, já que a redução veio após quatro meses seguidos de crescimento, período que acumulou um ganho de 2,1%, segundo o instituto.

Segundo a gerente da pesquisa mensal do comércio do IBGE, Isabella Nunes, o resultado é ainda mais expressivo se comparado a agosto de 2016. Em 12 meses, o volume de vendas avançou 3,6%, melhor resultado para os meses de agosto desde 2013. Números que, de acordo com a especialista, demonstram a recuperação da economia.

“Quando se observa a comparação que leva em consideração o ano de 2016, ou seja, o resultado de 3,6% de aumento de agosto de 2017 contra agosto de 2016, fica evidente a recuperação do varejo, na medida em que se tem um ano de 2016, uma base de comparação muito baixa, mas os fundamentos macroeconômicos tanto no que se referem à inflação ou à taxa de juros das famílias ou massa de rendimentos, eles são melhores em agosto de 2017 do que eram em agosto de 2016.”

A pesquisadora explicou ainda que a sequência de quatro taxas positivas no primeiro semestre permite sugerir que o comércio deverá fechar o ano com estabilidade. Na comparação com agosto de 2016, houve avanço em seis das oito atividades do setor, impulsionado pelas vendas de móveis e eletrodomésticos (16,5%).
Nesta quinta-feira (12), data em que se comemora o Dia das Crianças (12), o comércio varejista deve faturar mais que no ano passado. Após dois anos consecutivos de quedas, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que as vendas associadas à data festiva devam movimentar R$ 7,4 bilhões. Os números podem representar um crescimento significativo na comparação com 2016, como explica o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fábio Bentes.

“No caso específico do Dia das Crianças, a gente de fato está aguardando uma alta de 3,4% em relação ao Dia das Crianças 2016. E, uma vez confirmada essa nova previsão, a gente estaria falando do melhor Dia das Crianças em quatro anos.”

Com alta esperada de 10,2%, as lojas de vestuário e calçados deverão apresentar o melhor desempenho entre os campeões de venda da data, segundo o especialista. O comércio de brinquedos e eletroeletrônicos também deverá voltar a crescer neste ano (5,7%). De toda forma, a CNC explica que as variações positivas esperadas para 2017 não repõem as perdas verificadas no ano passado de 12,2% e 7,6%, respectivamente.

 

Veja Também

'Woop Sicredi' para o público conectado
Câmara quer pressa em apreciar alterações
Programa Jovens Embaixadores recebe inscrições a partir desta terça
Clima Manhãs frias e tardes quentes Dias devem permanecer com temperatura em elevação
Sitiante é autuado por manter macaco-prego em cativeiro
Anvisa suspende venda de fraldas Huggies Turma da Mônica
Colisão frontal mata duas pessoas em rodovia
Simted rejeita proposta feita pela prefeitura de Corumbá
Governo do Estado promove 113 PMs a sargento
Campanha do Agasalho do Judiciário é prorrogada até o dia 10 de julho