Campo Grande •17 de Agosto de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner FM Cidade

Da redação | Quinta, 3 de Agosto de 2017 - 14h09Universidade adota nova metodologia para coleta de materiais recicláveis e não recicláveisAtuais lixeiras serão substituídas por lixeiras do tipo 'recicláveis' e 'não recicláveis'

(Foto: Divulgação)

A Divisão de Gestão Ambiental da UFGD já está recebendo as novas lixeiras que serão distribuídas por toda a Universidade, no decorrer das próximas semanas, para aprimorar a coleta de resíduos. As atuais lixeiras seletivas (azul, vermelho, verde, amarelo) serão substituídas por lixeiras do tipo “recicláveis” e “não recicláveis”.
 
Essa substituição tem como intuito facilitar a separação dos materiais recicláveis, uma vez que a utilização de lixeiras coloridas não garante o descarte correto dos resíduos na prática. Esse modelo já é adotado em outras universidades federais e tem dado certo.
 
A instalação das novas lixeiras acontecerá nas unidades próprias da UFGD e os demais materiais serão distribuídos em todas as unidades operacionais da Instituição. No total, serão instaladas em áreas internas 400 lixeiras de 100 litros, sendo 200 de cor azul, para resíduos recicláveis, e 200 de cor preta, para resíduos não recicláveis; e 100 caixas para coleta de papel A4.
 
Já para áreas externas, serão 50 jogos de lixeiras fixas, nas cores azul e preta. E para armazenamento temporário, serão instalados 140 contentores de 240 litros, sendo 70 na cor azul, para recicláveis, e 70 na cor preta, para não recicláveis.
 
Toda a separação e reciclagem desse material continuarão sendo feitas pela Associação dos Agentes Ecológicos de Dourados (Agecold). Esse projeto faz parte do Plano de Ação de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) da UFGD.
 
O Plano encontra-se em fase de implantação e, assim que terminada a distribuição das lixeiras, ocorrerá a sensibilização e a divulgação do mesmo a toda comunidade acadêmica.
 
A Divisão de Gestão Ambiental é vinculada à Coordenadoria de Planejamento da Pró-reitoria de Avaliação Institucional e Planejamento (COPLAN-PROAP) da Universidade.
 
A importância da coleta seletiva - Os processos de reciclagem, de modo geral, geram nova matéria-prima de qualidade para ser reutilizada, não sendo, assim, necessário retirar mais recursos da natureza, desperdiçando menos água e energia.
 
Os materiais são sempre separados por tipos (plástico, papel, vidro, metais, orgânico, etc), sendo, cada resíduo, destinado a um processo independente de reciclagem.
 
Com o estímulo da coleta seletiva, a UFGD ajuda a aumentar a conscientização da população em relação ao consumo sustentável e a preservação do meio ambiente, já que quando os resíduos são descartados corretamente, é possível evitar a poluição do solo e de lençóis freáticos, além de evitar a poluição das ruas e esgotos que podem causar enchentes e, consequentemente, grandes prejuízos aos cofres públicos e aos moradores das cidades.
 
Confira, na imagem, alguns exemplos de materiais recicláveis e não recicláveis. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3423-0917.

 

Veja Também
Capital inaugura casa de acolhimento para pessoas com deficiência
Três Lagoas intensifica vacinação contra HPV e Meningite
Estudante do IFMS é selecionado para o Parlamento Jovem Brasileiro
Mais de 40% dos flagrantes de violência contra a mulher resultam em prisão
Regional abre portas do PAM e desagrada prefeitura
STF nega indenização a MT por criação de parque indígena
CMO abre portões à comunidade no dia 27 de agosto
Enfermagem da Uems tem primeiro grupo de acadêmicos no Samu
MS poderá ter Cadastro de Condenados por Racismo ou Injúria Racial
Indígenas bloqueiam rodovia entre Dourados e Itaporã
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento