Menu
27 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Trabalhadores

União é condenada a fiscalizar programa de agroindústria canavieira

Supervisão deverá ser feita por intermédio do Ministério da Agricultura

14 Jun2017Da redação16h51

A Justiça Federal determinou, em caráter definitivo, que a União fiscalize a empresa Fátima do Sul Agro-energética S/A - Álcool e Açúcar quanto à elaboração e à execução do Plano de Assistência Social (PAS) em prol dos trabalhadores da agroindústria canavieira. A supervisão deverá ser feita por intermédio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Ministério do Trabalho e Emprego.

A ação foi proposta em conjunto pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Ministério Público Federal e assegurou a aplicação no PAS de 1% sobre o valor oficial da tonelada de cana entregue às usinas pelos fornecedores ou lavradores.

"Essa decisão reconhece a cerca de 500 trabalhadores, ao menos por um lapso pequeno de tempo - aproximadamente dois anos -, a efetividade de um direito de cunho nitidamente social, sonegado há décadas a milhares de trabalhadores. A conquista é de suma relevância, especialmente quando se leva em conta todo um setor produtivo nacional e que durante anos discutiu-se muito acerca da competência de qual órgão julgador seria legítimo para determinar o cumprimento da obrigação”, observou o procurador do Trabalho Jeferson Pereira, autor da ação.

O PAS é um programa previsto na Lei nº 4.870/65, que impõe aos produtores de cana, açúcar e álcool o compromisso de aplicar recursos em benefício dos trabalhadores industriais e agrícolas das usinas, destilarias e fornecedores, incluindo serviços de assistência médica, hospitalar, farmacêutica e social. Esse encargo foi revogado em outubro de 2013 pela Lei nº 12.865.  
        
Obrigação consorciada - A Usina Fátima do Sul Agro-energética S/A Álcool e Açúcar firmou Termo de Ajuste de Conduta para implementar o PAS, em 2012, com o MPT. Com o acordo, caberia à usina a iniciativa de elaboração do Plano de Assistência Social, remanescendo a responsabilidade da aprovação e da fiscalização ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Secretaria de Produção e Agroenergia. No entanto, o órgão alegou que não houve orientação para estabelecer qualquer tratativa com as firmas produtoras de açúcar e álcool até decisão judicial definitiva.

Segundo consta da decisão judicial, o argumento de impossibilidade de elaboração e execução do plano, diante da inexistência de suporte legal para a exigência da obrigação, não possui respaldo.

A União foi condenada a fiscalizar o programa, sob pena de incorrer em crime de desobediência e de responsabilidade por improbidade administrativa. A Justiça fixou o prazo de 60 dias, a contar da intimação da decisão, para que a União comprove esse controle. Em caso de descumprimento, será aplicada multa diária no valor de R$ 5 mil reais.

Veja Também

Vítima de acidente, engenheira morre em hospital
Prefeitura da Capital afirma ter suprido déficit de medicamentos
23° Encontro de Estudantes de Relações Internacionais será na Capital
Vereadora solicita construção de UBS para bairros da Capital
Usina indenizará vítima de atropelamento em rodovia
Câmeras flagraram atropelamento fatal
Vacinação contra gripe na Praça Ary Coelho
Vereador apresenta projeto a supermercados para reaproveitar alimentos
TJ permite que candidata continue em concurso para escrivã de Polícia
População retira kit gratuito para sinal digital