Campo Grande •19 de Novembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full Banner Governo - Refis

Da redação | Quinta, 29 de Junho de 2017 - 21h00Troco Solidário ajuda a comprar sede própria para deficientes visuaisEntre junho, julho e agosto de 2011 foram arrecadados R$ 74.692,15 para associação

(Foto: Divulgação)

A sede própria da ADVIMS (Associação dos Deficientes Visuais de Mato Grosso do Sul), localizada num edifício na região central de Campo Grande, foi comprada à vista por R$ 70 mil em 2012. O sonho de quase 20 anos foi realizado graças ao projeto Troco Solidário, da Rede Comper de Supermercados.

Desde 2007 a Rede Comper tem ajudado diversas entidades sociais por meio do Troco Solidário, que consiste na arrecadação de moedas que os clientes doam nos caixas das lojas quando fazem suas compras. O dinheiro é investido em benfeitorias para as instituições como a ADVIMS e tem ajudado a transformar muitos sonhos em realidade.

Entre junho, julho e agosto de 2011 foram arrecadados R$ 74.692,15 para a associação, que recebeu a quantia no fim daquele ano, conforme explica o aposentado Silvan Cardoso de Azevedo, 45 anos, presidente da ADVIMS. “Pagamos a sede da entidade à vista e o restante do dinheiro foi usado para a escritura”.

Segundo Silvan, a associação existe desde 7 de setembro de 1985 e tem por objetivo o oferecimento de serviços que garantam a defesa e os direitos dos deficientes visuais, como inclusão no mercado de trabalho, no esporte, assistência social. Antes de ter sua própria sede, a ADVIMS funcionava num sistema itinerante, ou seja, de tempos em tempos alugava um imóvel para o funcionamento das atividades.

Silvan explica que antes da sede da própria, a associação funcionava no bairro Taveirópolis, situado na região oeste de Campo Grande. Hoje, no prédio localizado no centro da cidade, continua prestando atendimento jurídico em todas as esferas que envolvam direitos das pessoas com deficiência visual.

A ADVIMS possui 100 associados da capital e interior atualmente e acompanha desde ações protocoladas junto ao Ministério Público até reclamações envolvendo o não cumprimento dos direitos das pessoas com deficiência,  como a passagem gratuita em ônibus. No espaço de 67 metros quadrados, mas que, segundo Silvan parece ser maior devido à ‘mágica’ utilizada na divisão, trabalham oito funcionários (advogados, administrativo, professor de informática e assistente social) voluntários, com exceção da assistente social.

Na sede da associação há sala de serviço social, laboratório de informática, sala da diretoria, recepção, copa e ali funciona até uma rádio web. Ainda ajuda as pessoas em conseguir colocação no mercado de trabalho. Os associados são incentivados a realizarem cursos de massoterapia e quando se formam, a ADVIMS empresta por seis meses materiais como macas e cadeiras para que eles comecem a exercer a atividade e ganharem dinheiro.

Sobre o projeto Troco Solidário, Silvan é só elogios. “É um projeto sério ao qual às entidades que participam, recebem o dinheiro. Se a associação não tivesse a oportunidade de participar, até hoje não teria espaço próprio. Isso é muito importante, pois antes, quando não tínhamos sede, o acesso acabava sendo dificuldade pelo fato de sempre estar num local. A sede própria dinamizou nossos trabalhos”, conclui o presidente da ADVIMS.

A Associação dos Deficientes Visuais de Mato Grosso do Sul fica na sala 22 do segundo andar do Edifício Itamarati, na rua 14 de Julho, 1.817, entre a avenida Afonso Pena e a rua 15 de Novembro, no centro de Campo Grande.  

O troco – Hoje, a arrecadação de moedas beneficia uma entidade a cada dois meses (antes eram três meses). As instituições que têm interesse em participar do projeto devem procurar a Rede Comper e repassar um histórico, além de uma série de documentos.

Depois disso, triagem é feita e em seguida uma equipe da Rede Comper visita in loco a instituição para comprovar a veracidade das informações. Após essa etapa é feita uma análise complexa que definirá as seis instituições que serão contempladas com o Troco Solidário no ano posterior. É imprescindível que as entidades prestem atendimento na área da assistência social ou desenvolvam projetos nas comunidades.

No ano passado as entidades Asilo São João Bosco, Abrec (Associação Beneficente Dos Renais Crônicos), Obras Sociais Francisco Thiesen, Instituto SOS Pantanal, Cica (Centro de Integração da Criança e Adolescente) e Afim (Associação Redentorista Filhos de Maria) foram beneficiadas, respectivamente, com R$ 20.750,56, R$ 25.695,54, R$ 28.280,61, R$ 28.280,61, R$ 40.180,25 e R$ 53.318,65.

Nesse ano, o Asilo São João Bosco foi beneficiado mais uma vez, agora com o valor de R$ 38.662,77, arrecadado nas 13 lojas Comper de Campo Grande nos períodos de janeiro e fevereiro. Já a Associação de Apoio Social Clínica da Alma recebeu R$ 42.119,58, quantia arrecadada entre março e abril.

Veja Também
Marinha do Brasil e FAB auxiliam em buscas por submarino argentino
Prova do IFMS reúne mais de 3,4 mil candidatos em dez municípios
FAB participa da operação de busca a submarino argentino ARA San Juan
Restauração da entrada de Bonito vai receber ciclovia e R$ 9,6 milhões
Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 50 milhões
IFMS recebe R$ 1,2 milhão para desenvolvimento de softwares
Inscrições para praça de alimentação do 'Dourados Brilha' terminam amanhã
Prefeitura oferece cursos para servidores em parceria com Senai
Comissão analisa projeto que prevê ingresso gratuito em museus
Voo vai conectar MS a nove países a partir de dezembro
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento