Menu
23 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Superluas

Três superluas serão visíveis até o fim do ano

Lua vai parecer maior também porque estará mais próxima do horizonte, quando ocorre efeito extra de ampliação

4 Out201608h59

O Observatório Astronômico de Lisboa (OAL) informou, em comunicado, que até o fim deste ano todas as luas cheias - que ocorrerão nos dias 16 de outubro, 14 de novembro e 14 de dezembro - serão superluas, fenômeno que ocorre quando o satélite natural parece estar maior do que o habitual.

No dia 16 de outubro, a lua vai parecer maior, não apenas devido à ocorrência de superlua, mas também porque estará mais próxima do horizonte, quando ocorre um efeito extra de ampliação.

De acordo com o OAL, é normal ver a lua cheia próxima da linha do horizonte muito maior do que quando se encontra mais alta no céu noturno. “Esse efeito não é ótico, mas apenas cerebral, ou seja, é o cérebro humano que cria a ‘imagem fictícia’ de uma lua enorme”, diz o comunicado.

As superluas são visíveis quando as luas cheias ocorrem próximas do perigeu, que é o ponto mais próximo que a lua atinge em relação à Terra.  Segundo essa definição, a superlua pode ser frequente, mas nem todas terão o mesmo tamanho e brilho.

Veja Também

Estudo avalia se hidrelétricas na Bacia do Paraguai causam impacto ambiental
OAB anuncia novo recurso contra cobrança de bagagem em aviões
TJ mantém condenação por homicídio culposo em acidente de trânsito
Caravana da Saúde está de volta e ampliada
Assomasul promove treinamento sobre fiscalização de imposto
Empresa realiza maratona de programação para escolher estagiários
Obras do Reviva Centro alteram linhas de ônibus neste fim de semana
Em Brasília, cemitério que abriga personalidades é ponto turístico
Universidade realiza corrida de carrinhos de rolimã neste sábado
Projeto de Fábio Trad atualiza legislação militar no combate a crimes sexuais