Campo Grande •24 de Fevereiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner governo do estado - IPVA

Da redação | Quarta, 23 de Agosto de 2017 - 17h54Três Lagoas prepara volta dos exames de densitometria ósseaEsses exames, assim como a mamografia, são realizados na Clínica da Mulher

(Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), dentro de 30 dias, estará disponibilizando a volta dos exames de Densitometria Óssea, na Clínica da Mulher.

Esses exames, assim como os de Mamografia, estavam suspensos na Clínica da Mulher, porque, tanto o Densitômetro como o Mamógrafo tiveram avarias técnicas que impossibilitavam o devido funcionamento, interrompido há mais de um ano.

Recentemente, o Mamógrafo voltou a funcionar e exames de mamografia já estão sendo realizados normalmente na Clínica da Mulher, seguindo prévio agendamento e controle da Central de Regulação.

Com a interrupção desses serviços na Clínica da Mulher,  aumentou o número de pacientes na fila de espera por esses exames. São quase 700 exames de Densitometria Óssea e quase 2,5 mil de Mamografia que aguardam ser realizados.

Apesar do contrato da SMS com o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, em janeiro, para a realização de 142 exames de mamografia por mês para pacientes SUS (Sistema Único de Saúde), ainda é considerada longa a espera das mulheres por esse exame.

Segundo informações da Central de Regulação, ainda existe o que os gestores identificam como “demanda reprimida”, ou seja, a procura é maior que a capacidade disponibilizada de determinados serviços da Saúde.

A demanda por exame de Mamografia compreende não só pacientes do município, mas também dos municípios da denominada microrregião de Três Lagoas, formada por: Selvíria, Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Água Clara e Bataguassu.

Quanto aos exames de Densitometria Óssea, Três Lagoas é referência macrorregional, ou seja, atende a pacientes de 10 municípios, que são os seis já elencados da microrregião mais os quatro restantes, que são: Paranaíba, Cassilândia, Aparecida do Taboado e Inocência.

“Acreditamos que a demanda reprimida será reduzida dentro de três a quatro meses”, como explicou a coordenadora do Setor de Média Complexidade (Clínicas) do Departamento de Assistência à Saúde, Larissa Rachel Palhares Coutinho.

(Com informações da assessoria de imprensa da prefeitura de Três Lagoas)

Veja Também
Estudos realizados durante oito anos atestam qualidade da água do Lajeado
Energisa sobrevoa áreas alagadas pelas chuvas em MS
ONU tem mais mulheres que homens na liderança
Uso de celular e falta de cinto são principais infrações no trânsito em Três Lagoas
Aula de Yoga para crianças será realizada neste domingo
Campanha arrecada produtos para Asilo São João Bosco
Governo divulga mais de R$ 4 milhões em investimentos para asfalto novo
Ação Social do Vale Renda deve reunir oito mil beneficiários neste sábado
Dia claro em Mato Grosso do Sul
Motociclista morre após colisão em carreta na Capital
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento