Menu
27 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Em obras

Terminal de transbordo Bandeirantes começa a receber piso tátil

Reforma também está sendo feita nos terminais Júlio de Castilho e Guaicurus

16 Jan2020Da redação10h00

Iniciada há dois dias, a reforma no Terminal de Transbordo Bandeirantes começa a ganhar corpo numa das três plataformas, que está sendo preparada para receber “trilha” do piso tátil, que vai garantir travessia segura aos deficientes visuais. Nesta fase o trabalho é de recortar o granito na dimensão exata onde o tátil será encaixado.

Também há obras em andamento nos terminais Júlio de Castilho e Guaicurus, que além da revitalização completa, passarão por adequações para garantir acessibilidade, guaritas destinadas à Guarda Municipal, além de grades móveis para o fechamento das estações durante a madrugada. Maior dos três transbordos, por onde circulam em média 20 mil usuários, o Bandeirantes também sofre com a depredação de vândalos que danificam banheiros e bebedouros.

Primeira reforma -  É a primeira reforma ampla, em 20 anos, que a Prefeitura faz nos terminais de ônibus. Serão investidos R$ 2.087.903,84 na reforma dos terminais Bandeirantes, Júlio de Castilho e Guaicurus.  Estão em licitação as obras dos terminais General Osório, Nova Bahia, Aero Rancho, Morenão (que terá pequenas adequações porque será ampliada numa outra etapa) e nos pontos de integração Hercules Maymone e Moreninha.  O investimento previsto é de mais R$  3.117.259,73.

Serão reformados os banheiros, bebedouros,  lanchonete, salas de descanso dos funcionários;  trocadas  as instalações elétricas e hidráulicas, além de pintura. Haverá também reparos nas coberturas; serão implantados os projetos de segurança contra incêndio e pânico; reforçado o piso rígido do pátio e troca dos bancos. Está programada a construção de guaritas para os guardas municipais, instalação de grades móveis para o fechamento dos terminais durante a madrugada, quando não há circulação de ônibus.

Outra inovação é a instalação de bicicletários, trazendo para Campo Grande uma intermodalidade comum em outros centros. Os usuários poderão se deslocar de bicicleta até os terminais, onde poderão deixar suas “magrelas” com segurança, até o retorno para casa.

Ainda estão previstas intervenções para adequar os terminais às normas de acessibilidade, com banheiros para pessoas com necessidades especiais, rampas e piso tátil.

Veja Também