Menu
25 de setembro de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Segov- Campanha Semana Nacional do Trânsito
Vem Brincar no Pátio

Shopping do Centro chama as crianças para brincar

Programação de férias vai até o dia 21 de julho e é aberta ao público

11 Jul2018Luany Mônaco - Especial para o Diário Digital18h31
(Foto: Marco Miatelo)
  • Crianças podem participar de oficinas criativas e brincadeiras livres que fortalecem a socialização e a interação com outras crianças
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Alice é a garotinha de 4 anos que tem uma cadelinha que muda de nome (Foto: Marco Miatelo)
  • Elidiane Szimanski é uma das brincantes que auxilia o brincar dos pequenos (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Ângelo quer que o espaço seja permanente e aprovou a ideia do espaço infantil (Foto: Marco Miatelo)
  • Edna é a neta de Alice e aprovou o espaço no centro da cidade (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Julho é o mês das curtas férias escolares que agitam a agenda dos pais, avós, tios e todas as pessoas que convivem com uma “miniatura do ser humano” em casa. Pensando nisso, o Pátio Central Shopping disponibilizou uma área de lazer infantil e chama as crianças para brincar com a programação do “Vem brincar no Pátio” que segue até o dia 21 de julho.

As brincadeiras acontecem sempre entre as 14h e 18h de segunda a sábado no piso térreo do shopping, para brincar as crianças precisam apenas estar acompanhadas dos pais ou responsáveis e aproveitar. Tem cabaninha, pula-pula, piscina de bolinhas, mesa para desenhos e até uma piscina de milho, tudo preparado e escolhido especialmente para atender a crianças de todas as idades, e o melhor, sem cobrar por isso.

A brincante Elidiane Szimanski explica que o espaço lúdico foi criado pela equipe da Aldeia do Brincar, um grupo de amigas que resolveu transformar em trabalho o cuidado, e com novas atividades se preocupam em desenvolver as habilidades de cada criança brincando. A brilhante ideia surgiu da frase africana: “é preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”, e assim foi feito, a Aldeia do Brincar foi colocada em prática e brinca com pequenos por toda a cidade.

O espaço no meio do shopping é um incentivo ao livre brincar, as brincantes presentes no local estão ali apenas para conduzir a criança na diversão, sem interferir na imaginação e criatividade infantil. A piscina de milho foi feita para estimular os sentidos infantis, como o milho é um grão sensorial estimula no descobrimento e desenvolvimento dos sentidos, neste caso, o mais trabalhado deles é o tato.

Elidiane conta que a primeira infância é a fase da vida onde as crianças aprendem tudo, esta é a época onde elas começam a discernir entre o certo e o errado, e também a interagir, compartilhar, participar, brincar e principalmente crescer. De acordo com a brincante todas as brincadeiras disponibilizadas no Pátio Central são uma alavanca para o crescimento da criançada, lá elas estarão rodeadas de outras crianças que também estão crescendo e precisam interagir.

A pequena Alice tem apenas quatro anos e chegou tagarelando e querendo desenhar, à mesa ela conta sobre sua avó que não a deixou comprar uma coisa que precisava (?) e de como ama sua cadelinha que muda de nome. Alice, que está em sua primeira infância, divide com as “tias” o segredo de seu pet, de acordo com a pequena, Scarlety, a cadelinha, muda de nome quando está suja e se torna Cacá, e só volta a ser Scarlety quando toma banho. A “tia” Elidiane diz que “é por isso que a gente não pode restringir as crianças”, as “miniaturas de gente” pensam de maneira totalmente diferente de um adulto, e precisam interagir com alguém que “dê corda” à imaginação infantil, de preferência, outras crianças.

Edna Neire conta que foi ao shopping sozinha quando viu o espaço infantil e resolveu voltar outro dia para exclusivamente levar a netinha para brincar. Edna é a vó da pequena Alice e achou que a área é um ótimo incentivo ao brincar, para ela além de ser “uma delícia” ver a Alice brincando com outras crianças o espaço dá um tempo de descanso a quem está com os mini-bagunceiros durante as 24 horas do dia. Dona Edna ainda reclama, “nos outros shoppings tudo o que tem pra fazer com as crianças é pago, e caro”, mas está satisfeita com a diversão proporcionada a neta Alice.

Seu Ângelo Vieira foi mais radical, disse que o espaço deveria ser permanente já que “ás vezes os pais não vem com os filhos pro shopping porque não tem onde deixar as crianças”, e como Pátio Central não tem mais espaços infantis Ângelo dá outra dica: “isso daí acho que o próprio shopping deveria bancar, é um lugar onde as crianças podem ficar em segurança”. Mal sabe o Ângelo que a Aldeia do Brincar em breve irá inaugurar uma sala para brincadeiras no Pátio Central, o atendimento não será gratuito como nesta programação de julho, mas atenderá a criançada de maneira mais ampla e acessível aos pais.

Veja Também