Menu
22 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Omep e Seleta

Servidores voltarão ao trabalho e receberão salários

Anúncio de Marquinhos Trad foi recebido com aplausos e lágrimas pelos servidores

6 Jan2017Valdelice Bonifácio17h49
(Foto: Marco Miatelo)
  • O presidente da comissão Valdir Gomes e o prefeito Marquinhos Trad diante da plateia emocionada na Câmara Municipal
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Servidores contratados pela prefeitura de Campo Grande via convênio com Omep e Seleta voltarão aos seus postos de trabalho na segunda-feira, dia 9 de janeiro. A data foi anunciada pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) durante reunião na Câmara Municipal. Na mesma ocasião, ele anunciou que pagará o 13º salário, férias e rescisão (no caso daqueles que deixaram as funções) e o salário de dezembro de 2016 no decorrer da próxima semana. O anúncio foi recebido com aplausos e lágrimas pelos servidores.

Eles estavam afastados desde 15 de dezembro de 2016 por ordem do juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, David de Oliveira Gomes Filho, que suspendeu os contratos com as entidades, impedindo o repasse de dinheiro para as mesmas. Porém, ontem, 5 de janeiro, a prefeitura conseguiu reverter a situação no Tribunal de Justiça. O desembargador João Maria Lós suspendeu a decisão do magistrado de 1º instância.

Com isso, os servidores podem voltar ao trabalho e a prefeitura poderá fazer repasses financeiros. Conforme Marquinhos, o 13º salário, as férias e rescisões da Omep e Seleta juntas somam R$ 7,8 milhões. “Pretendemos depositar os valores tão logo as entidades enviem as folhas com os cálculos. Dinheiro já temos”, revelou o prefeito da Capital.

No caso do 13º, haverá  um parcelamento. Quem ganha até R$ 3 mil receberá integralmente. E os servidores que têm salários superiores a esse valor receberão uma parcela de R$ 3 mil e o restante será parcelado. “Já a rescisão e as férias, vamos pagar à vista para todos”, mencionou.

O pagamento do salário do mês de dezembro, cuja folha de ambas entidades totaliza R$ 6,3 milhões, vai ter que esperar a prefeitura encerrar o recolhimento do IPTU à vista, que será na terça-feira, dia 10. Feito isso, basta a prefeitura receber a documentação da Omep e Seleta que o pagamento será feito à vista. "No máximo, em dois dias, os salários já estarão na conta dos servidores", calcula o prefeito. Sendo assim, eles devem receber no dia 12.

O presidente da comissão de acompanhamento do caso Omep e Seleta, vereador Valdir Gomes (PP), disse que o próximo passo é pedir à Omep e Seleta que agilizem o encaminhamento da documentação. “Agora só falta isso, porque o dinheiro já tem”, considerou. Valdir Gomes explicou que o trabalho da comissão ainda não terminou. “Vamos investigar o destino de valores que deveriam ter sido reservados para pagar os servidores na gestão passada”, disse.

Conforme vereadores, no ano passado, o então prefeito Alcides Bernal (PP) pediu uma suplementação orçamentária de R$ 30 milhões para pagar servidores da Omep e Seleta. Ocorre que a destinação do dinheiro não foi essa e continua desconhecida. Há parlamentares que defendem a abertura de uma CPI para investigar a situação.

Concurso – Durante discurso aos servidores, Marquinhos disse que é preciso regularizar a situação.  Por isso, pediu aos funcionários que se preparem pois ele vai realizar concurso público para os cargos hoje preenchidos via contratos da Omep e Seleta.

“Do jeito que é atualmente (por convênios) não pode durar por muito tempo mais. Portanto, com o concurso, vocês não dependerão mais de padrinhos políticos”, disse.

Apesar de satisfeito com a reversão da medida judicial que impedia o pagamento dos servidores, Marquinhos pretende encontrar uma solução definitiva para o problema. Tanto que no dia 12 pretende se reunir com o juiz David de Oliveira e apresentar um planejamento ao magistrado. A situação já foi discutida com o Ministério Público que promete apoiar um novo acordo, desde que haja redução no número de comissionados e a convocação de servidores concursados.

Lágrimas – A recreadora Andreia Nogueira não segurou a emoção diante do anúncio dos pagamentos. “Foi um fim de ano muito difícil sem dinheiro. Os filhos pediam as coisas e a gente não tinha como dar a eles”, relatou a servidora que trabalha no Ceinf Osvaldo Maciel de Oliveira, no Bairro Taquarussu.

Felizes e se abraçando estavam a zeladora Maria Aparecida Alves e a cozinheira Valdenir Oliveira. “Estou na Omep há 14 anos nunca imaginei uma situação dessas”, desabafou Maria. “É um momento de alívio. Estou pedindo a Deus que seja mesmo realizado um concurso público”, torce Valdenir.

Ao todo, quatro mil servidores trabalham em órgãos da prefeitura contratados por convênios com as entidades Omep e Seleta.

Veja Também

Índios de Dourados recebem equipamentos para a agricultura
Denatran suspende pagamento de multas com cartão de crédito ou débito
Projeto estabelece isenção de carência em planos de saúde
MPF denuncia sete por fraude em licitação no aeroporo da Capital
Procon recolhe produtos vencidos e abre processo contra rede de mercados
Pedidos de aposentadoria por telefone e internet
Trânsito CCR MSVia destaca operações pare-e-siga na BR-163/MS Em caso de chuvas, as obras serão suspensas
Nacional Mais 21 serviços no INSS poderão ser agendados pela internet Agendamento vai começar a partir de quinta-feira, 24 de maio
Taxa de inscrição no Enem deve ser paga até quarta-feira
Greve compromete escoamento da safra