Campo Grande •23 de Junho de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto

Da redação | Terça, 7 de Fevereiro de 2017 - 17h25Serviço de Uber será regulamentado na CapitalOutra novidade no setor de transporte é o uso de motocímetro para mototaxis

  
(Foto: Roberto Okamura/Arquivo Diário Digital)
  • Trabalhadores do transporte participaram de reunião na prefeitura (Foto: Divulgação/Prefeitura)

O serviço do aplicativo Uber será regulamentado em Campo Grande, segundo anunciou o prefeito Marquinhos Trad (PSD) nesta terça-feira, dia 7 de fevereiro. Outro novidade no setor de transportes da Capital é o uso de motocímetros nos mototaxis.

Decretos neste sentido devem ser firmados na segunda-feira (13), às 8 horas, e, conforme o prefeito, atendem as categorias (taxistas e motoxistas) que pediram que regulamentasse essas questões. O objetivo é evitar concorrência desleal e também dar mais confiabilidade ao serviço de mototaxi.

O prefeito Marquinhos Trad, por meio da Ouvidoria Municipal, convocou as categorias para debater o assunto e já apontar uma solução. Marquinhos salientou a importância de igualar as condições dos serviços. “As mesmas condições que são impostas ao táxi deverão ser impostas ao Uber”, salientou.

O prefeito explicou que pegou as normas de outras capitais, de outras cidades, atendendo à decisão judicial de todas elas e irá fazer um decreto regulamentando o serviço de forma que os motoristas de Uber sejam identificados, por exemplo. “Que nós tenhamos condições da vida pregressa de cada um deles, que o veiculo seja identificado e que eles tenham um escritório de atendimento aqui. Exigir que tenham seguro do veículo, para quando você pegar um carro desses e, por ventura sofrer algum abalroamento neste trajeto, esteja seguro dentro do Uber”, frisou.

Motocímetro - Em relação ao motocímetro, o prefeito explicou que a lei determina que toda cidade que ultrapasse 50 mil habitantes deve ter o motocímetro e que isso nunca foi cobrado. “Isso gera uma desconfiança, até porque existem trechos diferentes para um mesmo trajeto. Agora, haverá a conscientização. Nós vamos normatizar essa situação. Eles trouxeram a proposta e nós vamos fazer valer o cumprimento da lei”, afirmou.

A categoria e a Prefeitura de Campo Grande acordaram um prazo de 180 dias para que os aparelhos sejam instalados, a partir da publicação do Decreto de Lei.

Para Dovair Boaventura, presidente dos mototaxistas, a medida vem atender a categoria que quer, com a regulamentação do motocímetro, passar mais confiabilidade no serviço e trazer autoestima aos trabalhadores. “Vamos ser a primeira capital do país a lançar a obrigatoriedade do uso do motocímetro. Queremos com isso resgatar a confiabilidade dos nossos serviços e a autoestima do mototaxista, que enfrentará um concorrência leal”, disse.

Boaventura explicou que apesar de haver uma tabela de cobrança, que é regulamentada entre o Sindicato de Mototaxistas e a Agencia Municipal de Regulação (Agereg), muitos não a utilizam e cobram o preço que querem, o que causa uma concorrência desleal para quem segue a legislação.

(Com informações da prefeitura de Campo Grande)

Veja Também
Trabalhadores já sacaram mais de R$ 37 bilhões de contas inativas do FGTS
Funsat itinerante atenderá em aldeia indígena e câmara municipal
À espera de um lar, cães recebem vacinas e carinho
Seminário de tecnologia chega à capital com inovações na gestão pública
Projeto de lei prevê redução progressiva do IPTU
Presença de gado em área protegida de reserva gera multa de R$ 20 mil
Programa ‘Casal Grávido’ realiza mais uma edição neste sábado
Avião com Gilmar Mendes tem falha técnica e retorna a Brasília
Expo Vip Beauty Education começa no dia 25 na Capital
Nutricionista da Capital cria programa 'Magras para Sempre'
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
Rec banner - Patio central
DothNews
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento