Menu
17 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Agosto lilás

Semu realiza palestras em escolas da em menção ao agosto lilás

Palestras acontecem em 10 escolas da Rede Municipal de Ensino

7 Ago2017Da redação15h25

A Secretária Municipal de Políticas para as Mulheres (SEMU) vai realizar neste mês de agosto, palestras em menção ao “Agosto Lilás” instituído à criação da Lei Maria da Penha, que comemora seu 11º aniversário nesta segunda-feira, dia 7 de agosto.. As palestras acontecem no decorrer do mês de agosto, em 10 escolas da Rede Municipal de Ensino, onde foram colocadas faixas da campanha, além de panos na cor lilás que foram distribuídos em pontos da cidade em alusão à campanha.

As palestras mostram que a cada 1h30 uma mulher é morta no Brasil, por menosprezo à condição de ser mulher, uma em cada cinco mulheres declaram já ter sofrido algum tipo de violência, a cada 11 minutos, uma mulher é estuprada no país, no mundo, 20% das faltas ao trabalho são em razão de violência doméstica. Com números espantosos, se faz necessária a sensibilização da sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher.

O lançamento da campanha aconteceu na Escola Municipal Arlindo Lima, para alunos do 7º ano do ensino fundamental. As palestras visam contribuir para que estudantes das unidades escolares do município tenham acesso às informações sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, as possibilidades de atendimento, os canais de denúncia e, acima de tudo, promover ações de prevenção que possibilitem diminuição dos índices de violência.

A subsecretária da Semu, Carla Stephanini, ressaltou que é muito importante a divulgação para o público mais jovem. “Nós estamos trabalhando diversas escolas municipais, conversando com os alunos, falando sobre a importância da lei, mas também, sensibilizando esses alunos, que estão na convivência e no cotidiano das famílias, para que eles também possam ser divulgadores e propulsores de uma nova dinâmica familiar. Uma dinâmica em que haja o respeito à mulher, porque eles também vivenciam essa violência doméstica quando suas mães são a elas submetidas”.

Veja Também