Menu
21 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Paralisação

Segundo dados 70% das obras estão paralisadas

Trabalhadores da construção civil, da educação, servidores públicos federais e eletricitários também aderiram à greve

14 Jun2019Da redação10h20

Trabalhadores da construção civil, da educação, servidores públicos federais e eletricitários também aderiram à greve. Na análise do  presidente da CUT-MS, Genilson Duarte, isto é um indício que a maioria das pessoas é contrária às alterações na previdência.

Caravanas do interior do Estado vem à Campo Grande para integrar o protesto que será realizado na praça do Rádio Clube. Dados do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil apontam para a paralisação de 70% das obras da cidade.

A coordenadora do Sista MS (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Institutos Federais de Ensino de Mato Grosso do Sul), Cléo Gomes, disse que além destes protestos durante a manhã, os estudantes devem se reunir à tarde na praça Ary Coelho para apresentar parte dos trabalhos que realizam na universidade. É uma forma de se manifestar contra os cortes na educação.

Veja Também

Inovação e educação empreendedora é tema do 25ª café com negócios
Confira a lista dos 224 apartamentos sorteados
Simone Tebet anuncia leitura de relatório
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA
Clima Temperatura em elevação Umidade relativa do ar em queda
Alunos do Instituto Mirim participam de capacitação tecnológica
Projeto que usa mosquitos modificados contra o Aedes entra em nova fase
Juíza de MS é vencedora em premiação nacional
Prefeitura de Corumbá anuncia reforma da Rodoviária Intermunicipal
Sergio Moro destaca importância de prisão em segunda instância