Menu
21 de maio de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega banner ALMS - AUDIÊNCIA PÚBLICA
Santa Casa

Cirurgia aneurisma cerebral menos invasiva

Procedimento cirúrgico é inovador em tratamento de doença desafiadora

23 Ago2017Da redação07h44

A Santa Casa realizou na última semana um procedimento cirúrgico inovador para o tratamento de aneurisma cerebral, com sucesso. A cirurgia neurológica minimamente invasiva acontece a partir de um pequeno corte acima da sobrancelha que possibilita por meio da angiografia o acesso delimitado do processo.

Atualmente o aneurisma cerebral é considerado uma das doenças mais desafiadoras da medicina, pois ocorre no órgão mais delicado do corpo humano – o cérebro. A taxa estimada de ruptura de um aneurisma cerebral é de até 10 casos em 100 mil pessoas ao ano, ou seja, apenas na cidade de Campo Grande temos até 100 casos de ruptura de aneurisma cerebral todos os anos.

Luiz Carlos Telles, 47, teve o diagnóstico de aneurisma cerebral há um ano e seu histórico de tratamento era extenso. “Eu sentia muitas dores, não sabia ao certo do que se tratava até ser diagnosticado com o aneurisma cerebral. Fiz tratamento em outras unidades de saúde e então fui encaminhado para Santa Casa e desta vez com a certeza da cirurgia. Hoje eu me sinto muito bem, as cicatrizes são pequenas e agora a chance de uma nova vida são bem maiores”. No último dia 16 de agosto, Luiz foi submetido ao novo procedimento após dores fortes e constantes.

De acordo com o médico responsável pelo procedimento, Dr. Felipe Guardini, apenas 15% das pessoas que tem um aneurisma roto consegue retornar às atividades normais, quase 50% vêm a falecer em casa e os outros 35% desenvolvem alguma limitação no seu dia-a-dia devido a um estado de coma, perda de movimentos, e outras sequelas. O número de casos de aneurisma cerebral diagnosticados vem crescendo muito devido ao uso da ressonância magnética e tomografia com contraste na constatação.

O tratamento definitivo para doença é a cirurgia neurológica, principalmente nos casos dos aneurismas que ainda não romperam, mas ainda há um grande receio sobre os riscos de lesões neurológicas, consequentemente, a não aceitação frequente de internação hospitalar ou de ter que raspar o cabelo atrapalham o tratamento que, quando realizado preventivamente, possui baixas taxas de complicação.

Dr. Felipe Guardini explica que esta cirurgia é muito realizada na Alemanha e, no Brasil, em poucos centros médicos como São Paulo, por exemplo, que além de obter benefícios estéticos, reduz as dores no pós-operatório, bem como, seu tempo de internação. “Em média até 40% dos casos diagnosticados precocemente têm a possibilidade de realizar a cirurgia minimamente invasiva, na qual o paciente é internado eletivamente para o procedimento e, em geral, tem alta hospitalar com cinco dias após a cirurgia, já em plena recuperação”, explica.

A equipe de neurocirurgiões da Santa Casa que atuam no Prontomed e na Unidade de Internação em Neurocirurgia é comandada pelo médico neurocirurgião, Dr. Felipe Guardini, que possui especialização em aneurismas cerebrais e microneurocirurgia pela Escola Paulista de Medicina.

Veja Também

Rodovia que 'esfarelou' fica pronta em agosto
Simted suspende greve que iniciou na sexta-feira, dia 18
Dourados receberá Caravana da Saúde Indígena em junho
Campanha de Vacinação já imunizou 129 mil pessoas, diz prefeitura
Projeto estabelece o rastreamento precoce de doenças
Programa Universitário Cidadão tem início em Três Lagoas
Defesa Civil do Estado avalia impactos da cheia do Pantanal
Câmara conclui votação da regulamentação da profissão de físico
EUA acusam aliado de Maduro de narcotráfico e impõem sanções
Projeto endurece pena para homicídio contra população LGBT