Menu
21 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Campo Grande

Pronto socorro só receberá pacientes encaminhados

Recomendação é da Secretaria Municipal de Saúde e será acatada pela Santa Casa

9 Fev2017Mariel Coelho, em colaboração ao Diário Digital18h10
(Foto: Marco Miatelo)
  • Reunião discutiu mudança no atendimento da Santa Casa nesta quinta-feira
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

A Santa Casa de Campo Grande vai atender uma recomendação da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) para mudar o atendimento no Pronto Socorro da unidade. O objetivo é que sejam atendidos apenas pacientes com encaminhamento médico e que tenham passado pela central de regulação, medida que já foi adotada no Hospital Regional, como forma de desafogar o setor.

Nesta quinta-feira, 9 de fevereiro, a diretoria da Santa Casa participou de reunião para discutir o assunto. Pacientes que chegarem ao local sem encaminhamento não poderão ser atendidos tendo que se dirigir primeiro a uma unidade de saúde. A restrição começa nesta sexta-feira, dia 10 de fevereiro.

"A partir de 1º de fevereiro de 2017, em todas as solicitações de Autorização de Internação Hospitalar em caráter de urgência, além da justificativa de internação, ou seja, o quadro clínico do paciente, deve ser informada a origem do paciente".

A medida vai diminuir a demanda espontânea na Santa Casa, bem como o atendimento a pacientes que vem do interior do Estado e procuram diretamente o hospital, sem passarem pela regulação.

Veja Também

ONU celebra suspensão de testes nucleares da Coreia do Norte
Mais de 1,4 mil travestis e transexuais pediram nome social no título
Obra de drenangem interdita trecho da Leão Neto na segunda-feira
Ponte de concreto para substituir a que caiu está 91% concluída
Confira os 12 erros mais cometidos na Declaração do IR
Tribunais e cartórios de MS serão inspecionados
Usando arte, evento alerta contra a cultura do estupro
Homem morre afogado após veículo cair em rio
Aposta feita em Brasília fatura mais de R$ 9 milhões na Mega-Sena
Fiocruz fabricará remédios contra HIV e hepatite C para ofertar no SUS