Menu
19 de agosto de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Recursos Hídricos

Sanesul e Águas são convocadas para debater qualidade da água em MS

Reportagem apontou a presença de 'coquetel de 27 agrotóxicos' na água servida no Estado

23 Abr2019Da redação18h18

A qualidade da água consumida nos municípios de Mato Grosso do Sul será o tema principal da mesa redonda promovida nesta quarta-feira (24) pela Frente Parlamentar de Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul. A reunião de trabalho, intitulada de “Ações e Políticas para discussão da qualidade da água nos centros urbanos de Mato Grosso do Sul”, acontece a partir das 13h, no plenarinho da Assembleia Legislativa, e contará com a presença de representantes da Sanesul e da Águas Guariroba, que são as concessionárias responsáveis pelo fornecimento de água para os 79 municípios do Estado.

Conforme o coordenador presidente da Frente Parlamentar, deputado estadual Renato Câmara (MDB), o principal objetivo da reunião é de promover um amplo debate técnico, envolvendo diversas instituições, sobre a qualidade da água consumida no Estado e esclarecer diversos pontos da reportagem da Agência Pública, divulgada na semana passada, que apontou a presença de “coquetel de 27 agrotóxicos” na água consumida por 65 municípios de MS, incluindo Dourados, Campo Grande, Ivinhema, Bonito e Jardim.

Para isso, a Frente Parlamentar de Recursos Hídricos solicitou a presença dos representantes da Sanesul e da Águas Guariroba para prestar esclarecimentos sobre o trabalho de controle da qualidade da água. “A Frente de Recursos Hídricos está atenta a essa situação, tendo em vista que a reportagem levantou dúvidas sobre a qualidade da água consumida por toda nossa população. Isto gera uma grande preocupação. Por isso, consideramos importante a presença das concessionárias responsáveis pelo fornecimento de água em nosso Estado para se posicionar oficialmente a respeito desta publicação e para esclarecer toda a sociedade sobre o que a Sanesul e a Águas Guariroba têm feito para garantir o controle de qualidade da água que chega às torneiras dos sul-mato-grossenses”, destacou.

Estão convidados para participar da mesa redonda promovida pela Frente Parlamentar de Recursos Hídricos os representantes do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde em MS, da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), da Secretaria Estadual de Saúde, do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), da Secretaria Municipal de Saúde Pública de Campo Grande, da Coordenadoria de Vigilância de Saúde Ambiental, da Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz)/MS, da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), da Comissão de Saúde da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)/MS, do Crea/MS, da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados), do IHGMS (Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul), do MPE (Ministério Público Estadual), do Rotary e da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco).

Renato Câmara adiantou que a Assembleia Legislativa vai se aprofundar neste debate devido à gravidade da questão e da preocupação provocada na população. “A contaminação da água pode ter uma abrangência ainda muito maior do que imaginamos. Além de estar contaminada, o que é questionável, se temos a tecnologia eficaz para despoluir esta água que contamina também todos os animais que fazem uso dela, principalmente os peixes. Devemos fazer as devidas discussões, fiscalizar e tomar as devidas providências sobre o assunto e, se necessário, medidas urgentes para preservar os recursos hídricos de nosso Estado que abriga o Aquífero Guarani, considerado a maior reserva de água doce do mundo”, registrou o deputado Renato Câmara.

Veja Também