Menu
20 de novembro de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Centro de Campo Grande

Rua 14 de Julho será entregue no dia 29

Equipes da Energisa trabalham no local para fazer a retirada de 96 postes de energia elétrica

8 Nov2019Da redação13h00
(Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)
  • (Foto: Amanda De Marchi)

Os trabalhos na 14 de Julho, no Centro de Campo Grande, estão acelerados para a entrega da tradicional rua no 29 de Novembro. Segundo a prefeitura, na data da entrega, a decoração natalina também será inaugurada.

A festa começa às 18 horas com shows. O evento será aberto ao público e seguirá, ao longo do mês, uma programação cultural para quem for às compras neste fim de ano, segundo a prefeitura.

Nesta semana, operários da concessionária Energisa trabalham na retirada dos postes de energia elétrica. O serviço exige cuidado. Equipes fazem a retirada da fiação e depois removem os postes.

Os postes retirados serão destruídos com reaproveitamento apenas da ferragem para reciclagem. Na primeira quadra, entre a Avenida Fernando Correa da Costa e a Rua 26 de Agosto, foram removidos sete postes.

Durante todo o trabalho, o trânsito na quadra fica interditado. Ao longo de toda a extensão da área de intervenção da 14 de Julho do Reviva, até o cruzamento da Avenida Mato Grosso, serão removidos 96 postes e mais de 10 quilômetros de cabos.

A previsão é que em uma semana os postes vão desaparecer do cenário da principal rua comercial da Campo Grande.

No trecho entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Cândido Mariano, a intervenção será no final de semana, provavelmente no domingo, quando o fluxo de pedestres é bem menor.

Inovações - Entre as inovações previstas no projeto de restauração do local, está a instalação de rede de wi-fi em toda a via e câmeras de segurança em cada quadra.

“Temos a concepção de um projeto que leva para a área central a proposta de um shopping a céu aberto, com toda a confortabilidade ao cidadão”, explica a coordenadora do Reviva Campo Grande, Catiana Sabadin.

Para se ter uma ideia da complexidade da obra, as profundas escavações mexeram em estruturas antigas, de mais de 60 anos. E tudo foi trocado. A rede de esgoto foi o primeiro serviço a ser concluído, seguido da drenagem.

A obra do Reviva Campo Grande, segundo a Engepar, empreiteira que executa os serviços, está com 97% de conclusão. Drenagem, rede de esgoto, sistema de abastecimento de água, telecomunicação, rede de iluminação pública, infraestrutura para Agetran, segurança e TI, e vistoria técnica estão concluídos.

Ao longo da obra foram mobilizados 470 trabalhadores diretos; mais 120 indiretos;  houve o envolvimento de 178 empresas terceirizadas foram lançados 78 mil metros de cabos; 85 mil metros de dutos, geração de R$ 5,4 milhões de impostos. 

Veja Também

Queda de árvores e estragos na Capital
Palestra 'Eu odeio dieta' fala sobre hábitos saudáveis
Prefeitura entregou 24 prêmios a contribuintes no concurso do IPTU
Projeto que proíbe cobrar para religar água e luz é barrado na Assembleia
Cassems Itinerante leva atendimento especializado a 7 municípios esta semana
Após um ano da morte, pais de Gabrielly prestam depoimento
Leishmaniose já matou 11 no Estado
'Papa Pilhas' do TJMS recolhe 60 kg de pilhas e cinco de baterias
Inep anuncia cancelamento de uma questão do Enem
Documentário que trata do assoreamento no Pantanal é lançado em Corumbá