Menu
27 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
Roubo de cargas

Roubos de cargas: arroz já teve mais de R$ 1 milhão em prejuízos

Este problema coloca em risco a vida do motorista e acaba, no final, por prejudicar o consumidor em função de seguros e fretes mais altos para o transporte

18 Jun2017Da redação14h28

As ocorrências de roubo de cargas em rodovias estão entrando na lista dos principais desafios do setor produtivo do Brasil. No setor do arroz, os ataques já se consolidaram como um problema urgente: levantamento da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) mostra que somente no primeiro trimestre do ano, os roubos de cargas deste cereal em rodovias do Brasil já somam R$ 1 milhão em prejuízos, com quase 500 toneladas roubadas de caminhões de entrega. 

A Abiarroz destaca que este não é um problema pontual e joga luz sobre o crescimento expressivo deste tipo de ocorrência no Rio de Janeiro, que responde pela maioria dos ataques a cargas de arroz no trimestre.  No levantamento da entidade, verifica-se inclusive uma empresa que parou de fornecer para o Rio de Janeiro: a transportadora que antes fazia as entregas para o Estado cessou o frete em função do aumento de registros de ataques.

No Rio de Janeiro, as ocorrências de roubo de cargas (de todos os tipos) triplicaram desde 2011. Em 2016, foram registrados 9.870 casos no Estado, um recorde desde que esta estatística começou a ser feita há 24 anos. A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), em recente comunicado, destaca que o crime pode ter origem no financiamento do tráfico de drogas, mas segundo a Polícia Civil do Estado, o roubo de cargas tem inclusive superado a própria venda de entorpecentes no faturamento, contando com uma estrutura organizada de gerentes e revenda rápida de mercadorias.

Para a Abiarroz, as consequências negativas dessa situação são muitas. A entidade destaca que este problema coloca em risco a vida do motorista e acaba, no final, por prejudicar o consumidor em função de seguros e fretes mais altos para o transporte. A entidade está conduzindo ações junto a autoridades políticas em Brasília sobre esta questão. 

Veja Também

Vítima de acidente, engenheira morre em hospital
Prefeitura da Capital afirma ter suprido déficit de medicamentos
23° Encontro de Estudantes de Relações Internacionais será na Capital
Vereadora solicita construção de UBS para bairros da Capital
Usina indenizará vítima de atropelamento em rodovia
Câmeras flagraram atropelamento fatal
Vacinação contra gripe na Praça Ary Coelho
Vereador apresenta projeto a supermercados para reaproveitar alimentos
TJ permite que candidata continue em concurso para escrivã de Polícia
População retira kit gratuito para sinal digital