Menu
20 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Campo Grande

Corredor Sudoeste já tem 8% de obra concluída

Maior problema de obra é a drenagem, diz o capitão do Exército

1 Ago2017Elaine Silva - Especial para Diário Digital10h28
Coronel Paulo Monteiro (Foto:Luciano Muta)
  • Data prevista para termino de obra é dezembro de 2018
  • Coronel Paulo Monteiro (Foto:Luciano Muta)

Desde o dia 13 de fevereiro o Exército Brasileiro junto com a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de Campo Grande já concluíram 8% da reestrutura do Corredor Sudoeste, mas o problema que eles enfrentam é  alguns atrasos na obra  por conta da desatualização do sistema de água e gás na região, por ser uma das regiões mais antigas.

O responsável pela engenharia e a parte técnica, Capitão Filipe, ressaltou durante a coletiva nessa manhã (01), no Comando Militar do Oeste, localizado na avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, que em alguns momentos as obras são paralisadas pelo problema de drenagem, caso o contrário  já teria cerca de 11% a 12% concluído. "Todo mês vai um engenheiro da prefeitura e da Caixa para verificar o andamento. Durante o tempo de execução já foram utilizados R$ 1 milhão do dinheiro previsto", relata o Capitão.  

Participaram da coletiva Coronel Rangel, o Secretário de Obras da Prefeitura Rudi Fiorese, Capitão Filipe, Coronel Paulo Monteiro  e o Diretor Presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) Janine de Lima Bruno.

O Coronel Paulo Monteiro informou que a obra não é do Exército Brasileiro e sim que eles são participantes e que executam o trabalho utilizando o dinheiro liberado pela Caixa Econômica Federal. "Não é obra do Exército, somos participantes junto com outras entidades. Não somos um órgão público e não temos dinheiro em reservas, por conta disso tem momentos que paramos por falta de materiais", informou o Coronel.

Corredor Sudoeste -  O local é conhecido como Corredor Sudoeste de transpote coletivo e compreende engloba as Rua Guia Lopes da Laguna, Avenida Bandeirantes, Avenida Marechal Deodoro e Rua Brilhante.

Gastos - O total da obra está calculado em R$ 24.046.944,07, sendo que R$ 17.135.958,25 utilizado em execução direta e R$ 6,914,10,25 em execução de terciários. Nos 8% de obra foi gasto R$ 1.386.968.52 do valor total.

Terceirizados -  Segundo o Capitão Filipe já foram aberto 3 editais para empresas, sendo que na primeira e na terceira vez as empresas não tinham atestado de capacidade e na segunda não teve participantes.

Trânsito – Durante a obra, segundo o diretor presidente da Agetran Janine de Lima Bruno, os desvios vão ser lançados no site da prefeitura para que seja repassado a população para que os usuários da vias saibam os desvios  que podem utilizar.

"Ao final do serviço (previsto para dezembro de 2018) vamos entregar o asfalto a população, mas ainda vai ficar a parte da prefeitura que é a parte da sinalização e outros pacotes", afirma Monteiros.

Veja Também