Campo Grande •21 de Janeiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner águas guariroba - campanha dezembro

Da redação | Quarta, 14 de Setembro de 2016 - 15h39Queimadas crescem no país e situação pode piorar em setembroMais de 53 mil focos e incêndios já foram registrados nas florestas do país

O estado do Mato Grosso lidera o ranking de queimadas no país em 2016, com mais de 15 mil focos.
O estado do Mato Grosso lidera o ranking de queimadas no país em 2016, com mais de 15 mil focos. (Foto: Reprodução/Internet)

O número de queimadas no Brasil, este ano, cresceu em 65%, se comparado ao mesmo período de 2015, de janeiro a agosto. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação. Até o início de agosto, foram registrados mais de 53 mil focos e incêndios pelas florestas do país, de acordo com o órgão. Situação que pode se agravar ainda mais em setembro, época do ano em que, geralmente, essas ocorrências se tornam mais frequentes.

 “Setembro é a época do ano em que a temporada de queimadas atinge seus níveis mais extremos porque estamos no auge do verão nas florestas. E, durante esse período, as chuvas são também menos frequentes nessas regiões”, conta o Biólogo Giuseppe Puorto, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS).

Segundo o Inpe, o estado do Mato Grosso lidera o ranking de queimadas no país em 2016, com mais de 15 mil focos de calor registrados nos primeiros oito meses do ano, número 45% maior se comparado também ao mesmo período de 2015. “Os impactos ambientais são enormes. Além de destruir toda a vegetação local, os incêndios também afetam a fauna”, diz o Biólogo.

Este ano, cobras, onças, macacos, tamanduás e tartarugas estão entre algumas espécies de animais queimados que foram resgatados, tratados e depois devolvidos à natureza pelo Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental do MT.

Para o Biólogo é preciso mais rigor na fiscalização, pois além do tempo seco, a ação do homem é uma das principais causas de incêndios florestais nesta época do ano. “Indispensáveis para o equilíbrio do clima, nossas florestas vão perdendo sua capacidade de recuperação, e aos poucos vamos dizimando toda nossa biodiversidade. É preciso acabar com isso”, conclui o membro do CRBio-01.

Veja Também
Aeroporto de Campo Grande comemora 54 anos
Sábado, 20 de Janeiro de 2018 - 12h29Emílio Ribas tem dois meses de espera Em São Paulo já fica de espera para conseguir a imunização
Termina domingo eleição do prato de Campo Grande
Devotos passam o dia festejando São Sebastião
Cai o número de acidentes e mortes na BRs em 2017
Sindicato fideliza filiado com serviços
Sábado, 20 de Janeiro de 2018 - 06h33Temperatura pode chegar a 34° Apesar do calor mais intenso há possibilidade de ocorrência de chuva
Defesa de Temer pede arquivamento de inquérito sobre portos
Sociedade precisa se preparar para viver com menos água, diz especialista
Empresas podem quitar débito com Agepan por meio de programa
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Diário Digital no Facebook
DothNews
Rec banner - Patio central
DothShop
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento