Menu
20 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Campo Aberto

Projeto visa embelezar ruas da Capital com arte

Intervenção urbana acontece em lugares inusitados onde a pessoa passa diariamente

1 Jul2017Marcos Tenório, em colaboração com o Diário Digital11h38
(Foto: Marco Miatelo)
  • Projeto Campo Aberto para Artes Visuais
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Dharison Freitas, 18 anos. Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo
  • Artista Ana Ruas. Foto: Marco Miatelo
  • Foto: Marco Miatelo

O projeto Campo Aberto para Artes Visuais, coordenado pela artista Ana Ruas, está espalhando arte pelo muro de esquina com a Avenida Fábio Zahran, com a Rua 26 de Agosto, próximo ao Mercadão Municipal de Campo Grande.

A pintura do muro conta com a participação de 10 escoteiros entre 13 e 19 anos e com a diretora pres. do Grupo Escoteiros Mário Dilson, Leize Demétrio da Silva e a Artista Ana Ruas.

A Diretora Leize Demétrio de 50 anos, relata que o projeto é uma proposta que faz com que o jovem se sinta pertencente a sociedade, esse espaço é dele, essa cidade é dele, e quando ele intervém ele se sente responsável pelo cuidado também desse espaço.

O escoteiro Sênior Dharison Freitas de 18 anos, disse que todos do grupo ficaram muito feliz com o convite para fazer parte desse projeto cultural, que é para deixar a cidade mais colorida. O jovem fala da importância de fazer parte do projeto nas ruas de Campo Grande, porque mostra para a cidade que a vida não uma coisa chata.

O escoteiro Sênior fala para as pessoas deixarem o celular de lado um pouco, sair da televisão e olhar para a cidade, para ver o como é importante deixar a cidade mais bonita, e encerra dizendo “não podemos ficar dependendo dos líderes políticos, nós temos que fazer nossa parte”.

A artista Ana Ruas fala que a intervenção urbana acontece em lugares inusitados onde a pessoa passa diariamente, mais as pessoas não saem de casa em busca de uma intervenção, ela se depara com uma.

Toda vez que a artista propõe um projeto, ela busca sempre passar uma mensagem positiva porque a nossa cidade está tão abandonada, Ana diz que um espaço como esse que parece que pede que seja recuperado, pois faz parte da história de Campo Grande.

A artista de rua, não sabe como a pintura vai ficar no final, pois ela termina de planejar a forma e os desenhos junto com os escoteiros, e que ama trabalhar com os jovens, porque eles não têm preguiça e o grupo é sensacional.

O trabalho que começou 8 horas da manhã, será encerrado às 17h, e só no fim da tarde será possível saber qual desenho estará embelezando uma das ruas mais movimentadas da Capital.

Veja Também