Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Educação

Professores suspendem greve e retomarão aulas na segunda

Categoria voltará ao trabalho, mas manterá ações contra a Reforma da Previdência

18 Mar2017Valdelice Bonifácio20h01

Professores da rede pública de Mato Grosso do Sul voltarão às salas de aula na próxima segunda-feira, dia 20 de março. A categoria estava em greve desde desde quarta-feira, 15 de março, em protesto contra a proposta de Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional. Apesar do retorno ao trabalho, está mantido o estado de greve, com isso, as ações contra a reforma continuarão em todo o Estado.

A decisão de suspender a greve foi tomada em assembleia neste sábado, 18 de março, na sede da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems), em Campo Grande, por maioria de votos, e vale para as redes estadual e municipal. Assim, as aulas também retornam na Reme da Capital.

Contudo, a mobilização continua. Neste domingo, dia 19, professores e outros profissionais contrários à reforma participam de reunião com a deputada federal Tereza Cristina (PSB). A ideia é obter dela a garantia de que votará contra a proposta.Haverá ainda panfletagem no decorrer do domingo e outras atividades durante a próxima semana.

Também na próxima semana, os professores tentarão negociar com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Em várias oportunidades, ele disse que cortaria o ponto dos professores grevistas. Porém, a categoria acredita em um entendimento com o chefe do Poder Executivo Estadual, pois pretende repor os dias parados, não havendo portanto, a necessidade de desconto.

 A greve dos professores em MS atendeu à convocação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), entidade que é contrária à reforma proposta pelo governo federal por considerar que ela é prejudicial aos trabalhadores.

Saiba mais sobre a Reforma da Previdência:

•    Para conseguir uma aposentadoria de 100% do salário de benefício, o trabalhador terá que contribuir com o INSS durante 49 anos e ter idade mínima de 65 anos. A regra vale para homens e mulheres. Portanto, seu(ua) filho(a) terá que começar a contribuir aos 16 anos de idade.

•    O tempo mínimo de contribuição para se conseguir o direito à aposentadoria passa de 15 para 25 anos para homens e mulheres.

•    A proposta de Reforma da Previdência também muda a aposentadoria dos servidores públicos. A idade mínima também será de 65 anos para homens e mulheres e mínimo de 25 anos de contribuição. A alíquota de contribuição da categoria passa de 11% para 14%.

•    A aposentadoria especial dos(as) professores(as) também é alterada. Ninguém poderá aposentar com idade inferior a 55 anos e pelo menos 20 anos de contribuição.

•    Os dependentes de pensão por morte também ficam com direitos reduzidos, o cônjuge só receberá 50% do salário de benefício, e menores de 21 anos receberão 10%. As regras valem para trabalhadores do setor privado, servidores públicos e políticos.

•    O trabalhador rural perde a garantia de segurado especial e passa a contribuir com a Previdência pagando alíquota estimada de 5%. As regras da idade mínima de 65 anos para homens e mulheres e mínimo de 25 anos de contribuição também vale para a categoria.

•    A aposentadoria por invalidez só será concedida ao segurado que sofrer acidente de trabalho.

Veja Também

Prefeitura entrega cobertores para famílias carentes da Capital
Seja Digital intensifica agendamentos nos CRAS  a partir de segunda
Entidades de classe defendem Plano Diretor da Capital
Comissão aprova vacinação obrigatória e gratuita contra leishmaniose
Curso orienta sobre alimentação e não desperdício de alimentos
Limpeza em lagoa resulta na retirada de 50 sacos de lixo
Incêndio destrói depósito de recicláveis
Portugal libera uso da maconha para fins medicinais
Médico lança 'Dicionário de Saúde e Segurança do Trabalhador'
Obras e projetos anunciados para a Capital