Campo Grande •24 de Setembro de 2017  • Ano 6
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner Governo -  MS Desenvolve

Valdelice Bonifácio | Quarta, 6 de Setembro de 2017 - 14h31Prefeitura não tem data para concluir casas inacabadasConvênio garantirá aporte R$ 4,9 milhões para comprar materiais e finalizar obras

(Foto: Marco Miatelo)

A prefeitura de Campo Grande informou nesta quarta-feira, 6 de setembro, por meio da assessoria de imprensa, que não tem previsão para finalizar as moradias que estão inacabadas no loteamento José Teruel, na região no Bairro Dom Antônio Barbosa. O assunto foi tema de reportagem do Diário Digital divulgada na sexta-feira passada, 1º de setembro. As famílias que foram removidas da antiga favela Cidade de Deus continuam morando em barracos enquanto as moradias não ficam prontas.

Conforme a prefeitura, o dinheiro para a finalização das residências, não só no José Teruel, mas também nos outros três loteamentos que receberam moradores da Cidade de Deus virá de convênio firmado recentemente com o governo do Estado. O valor do aporte é de R$ 4,9 milhões e será usado para comprar os materiais e concluir as moradias.

“Não há previsão para finalizar as obras haja vista que o convênio entre Prefeitura Municipal e Governo do Estado foi firmado na segunda-feira (4) durante cerimônia na Câmara Municipal de Campo Grande com aporte R$ 4,9 milhões para compra dos materiais necessários para a finalização das unidades habitacionais situadas previamente nos 4 locais de reassentamento de moradores da antiga Cidade de Deus: Bom Retiro, Canguru, Vespasiano Martins e José Teruel”, respondeu a prefeitura.

No início de 2016, a família dele e outras 400 foram removidas da Cidade de Deus para quatro loteamentos, localizados no José Teruel na região do Dom Antônio, Vespasiano Martins, Jardim Canguru e Bom Retiro, na região da Vila Nasser.

Na época, foi estabelecido um sistema de construção de casas pelos próprios moradores em parceria com a Morhar Organização Social, no programa Mutirão Assistido. Contudo, a empresa não conseguiu tocar as obras. Faltaram materiais de construção e os funcionários que trabalhavam nas edificações reclamavam da falta de pagamento. Houve protestos de moradores nos quatro loteamentos.

Em 2017, uma nova gestão assumiu a prefeitura. O Poder Público decidiu implementar um curso de qualificação para os moradores destes loteamentos. Nas aulas, eles aprendem serviços de pedreiro e carpinteiro, por exemplo. O curso já dura mais de um mês. Porém, as obras continuam paradas.

Veja Também
Ação da prefeitura garante plantio de 100 árvores e distribuição de 700 mudas frutíferas
Prefeito vai ampliar curso de defesa para mulheres das 7 regiões de Campo Grande
Domingo, 24 de Setembro de 2017 - 10h19Coreia do Norte diz que sistema nuclear só será usado como "última opção" Nosso objetivo é estabelecer um equilíbrio de poder com os Estados Unidos"
Domingo, 24 de Setembro de 2017 - 09h38Mega-Sena acumula pela sexta vez seguida e deverá pagar R$ 40 milhões Não havendo acertador em qualquer faixa, o valor acumula para o concurso seguinte
Pesquisa avalia alimentação em shopping centers de Campo Grande
Fazendeiro é multado por armazenamento ilegal de madeira
Projeto facilita retirada de conteúdos da internet que induzam ao suicídio
Corumbá vai substituir nove mil lâmpadas comuns por LED
Parceria combate discriminação por orientação sexual
Nova espécie de aranha é descoberta em MS
Square banner notícias UCI
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
DothNews
Rec banner - Patio central
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2017 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento