Campo Grande •22 de Janeiro de 2018  • Ano 7
OrganizaçãoIvan Paes BarbosaDiretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Full banner águas guariroba - campanha dezembro

Valdelice Bonifácio | Quarta, 6 de Setembro de 2017 - 14h31Prefeitura não tem data para concluir casas inacabadasConvênio garantirá aporte R$ 4,9 milhões para comprar materiais e finalizar obras

(Foto: Marco Miatelo)

A prefeitura de Campo Grande informou nesta quarta-feira, 6 de setembro, por meio da assessoria de imprensa, que não tem previsão para finalizar as moradias que estão inacabadas no loteamento José Teruel, na região no Bairro Dom Antônio Barbosa. O assunto foi tema de reportagem do Diário Digital divulgada na sexta-feira passada, 1º de setembro. As famílias que foram removidas da antiga favela Cidade de Deus continuam morando em barracos enquanto as moradias não ficam prontas.

Conforme a prefeitura, o dinheiro para a finalização das residências, não só no José Teruel, mas também nos outros três loteamentos que receberam moradores da Cidade de Deus virá de convênio firmado recentemente com o governo do Estado. O valor do aporte é de R$ 4,9 milhões e será usado para comprar os materiais e concluir as moradias.

“Não há previsão para finalizar as obras haja vista que o convênio entre Prefeitura Municipal e Governo do Estado foi firmado na segunda-feira (4) durante cerimônia na Câmara Municipal de Campo Grande com aporte R$ 4,9 milhões para compra dos materiais necessários para a finalização das unidades habitacionais situadas previamente nos 4 locais de reassentamento de moradores da antiga Cidade de Deus: Bom Retiro, Canguru, Vespasiano Martins e José Teruel”, respondeu a prefeitura.

No início de 2016, a família dele e outras 400 foram removidas da Cidade de Deus para quatro loteamentos, localizados no José Teruel na região do Dom Antônio, Vespasiano Martins, Jardim Canguru e Bom Retiro, na região da Vila Nasser.

Na época, foi estabelecido um sistema de construção de casas pelos próprios moradores em parceria com a Morhar Organização Social, no programa Mutirão Assistido. Contudo, a empresa não conseguiu tocar as obras. Faltaram materiais de construção e os funcionários que trabalhavam nas edificações reclamavam da falta de pagamento. Houve protestos de moradores nos quatro loteamentos.

Em 2017, uma nova gestão assumiu a prefeitura. O Poder Público decidiu implementar um curso de qualificação para os moradores destes loteamentos. Nas aulas, eles aprendem serviços de pedreiro e carpinteiro, por exemplo. O curso já dura mais de um mês. Porém, as obras continuam paradas.

Veja Também
População pode se cadastrar para receber alertas de desastre da Defesa Civil por SMS
Macaco é encontrado morto em fazenda
Mega-sena acumula e pode pagar R$ 20 milhões na quarta-feira
Domingo, 21 de Janeiro de 2018 - 07h20Campo Grande terá máxima de 37º Pode ocorrer pancadas de chuvas em regiões isoladas
Aeroporto de Campo Grande comemora 54 anos
Sábado, 20 de Janeiro de 2018 - 12h29Emílio Ribas tem dois meses de espera Em São Paulo já fica de espera para conseguir a imunização
Termina domingo eleição do prato de Campo Grande
Devotos passam o dia festejando São Sebastião
Cai o número de acidentes e mortes na BRs em 2017
Sindicato fideliza filiado com serviços
Square notícias UCI 2018
Vídeos
Últimas Notícias  
Diário Digital no Facebook
DothShop
Rec banner - Patio central
DothNews
© Copyright 2014 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2018 Diário Digital. Todos os Direitos Reservados
 Plataforma Desenvolvimento