Menu
18 de julho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Super Banner Campo Grande Expo
Campo Grande

Prefeitura fecha acordo com últimos proprietários para obras no anel viário

Indenização das duas áreas vai custar em torno de R$ 600 mil, informa Município

30 Ago2017Da redação19h21

Com a homologação do acordo judicial para o pagamento das indenizações, a Prefeitura de Campo Grande concluiu o processo desapropriação de duas áreas (uma de 1,2 hectare e outra de 6 hectares) que ficam no trajeto planejado da última etapa do macroanel rodoviário, entre as saídas para Rochedo (MS-080) e Cuiabá (BR-163). A indenização das duas áreas vai custar em torno de R$ 600 mil.

A partir da emissão de posse em favor do município será possível retomar e concluir as obras iniciadas em 2011 e que estão paradas há quase cinco anos. Com a retomada, a previsão é de que em um ano as obras estejam prontas. O convênio, que venceu em maio, foi prorrogado por mais 12 meses pelo DNIT, porque havia o risco do município ser obrigado a devolver o montante do convênio (mais de R$ 30 milhões).

Este trecho do macro anel, ainda inacabado, foi iniciado em 2011, orçado em R$ 29,2 milhões tem 24 quilômetros e duas pontes. Mais de 68% da obra já está concluída. O traçado planejado atravessa 46 propriedades, tendo havido entendimento sobre indenização com 29 proprietários. Das 17 negociações levadas à Justiça, o Judiciário concedeu 15 liminares e garantiu a emissão em favor do município.

Andamento das obras - Conforme o relatório do engenheiro fiscal da obra, 87,30% da terraplanagem já foi feita ; 63,55% da pavimentação e 72,97% da drenagem, além de terem sido concluídas as duas pontes planejadas (sobre os córregos Botas e Ceroula).

Do valor total previsto para investimento, R$ 26.440.565,17 são de responsabilidade da União, enquanto o Município entra com a contrapartida de R$ 2.827.949,02, basicamente destinada as despesas com desapropriações. Houve ainda um aditivo de R$ 3.836.0971,16, que elevou o custo da obra para mais de R$ 30,9 milhões. Deste total, já foram aplicados R$ 21.719.181,03 e resta um saldo contratual de R$ 9.198.154,13.

A obra também sofreu atraso por exigência do DNIT, que pediu para a empresa responsável refazer um trecho. Ainda está programada a construção de uma rotatória na MS-010 e outra na BR-163, de responsabilidade da concessionária que administra a rodovia.

O trecho a possibilitará a interligação entre a BR-163 (saída para Cuiabá), MS-080 (saída para Rochedo), BR-262 (em Indubrasil) , passando pelo Núcleo Industrial , BR-060 (ligação com Sidrolândia, Maracaju, Dourados e Ponta Porã) e na outra ponta da BR-163, já na saída para São Paulo, passando em frente ao futuro terminal intermodal.

(Com informações da prefeitura de Campo Grande)

Veja Também