Menu
27 de janeiro de 2020 • Ano 9
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Governo do Estado

Prefeitura entrega em janeiro o VIII Emei no Bairro Zé Pereira

A EMEI do Zé Pereira terá capacidade para atender 120 alunos por período e será uma transferência de prédio da EMEI Odete Trindade Benites

12 Nov2019Da redação11h45

Cumprindo mais uma meta do plano de governo, que tem como prioridade retomar e concluir as obras de escolas paralisadas na gestão passada e que contam com mais de 50% de conclusão, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), vai inaugurar em janeiro, a 8ª EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) no bairro Zé Pereira. Sendo que seis são prédios novos, e duas prédios alugados para melhor acomodar os alunos.

A EMEI do Zé Pereira terá capacidade para atender 120 alunos por período e será uma transferência de prédio da EMEI “Odete Trindade Benites”.

O prefeito Marquinhos Trad explicou que com a mudança, os alunos começarão o ano letivo com mais conforto. “O novo prédio tem 1.211 m² e irá contar com oito salas de aula com solário independente, brinquedoteca, cozinha, lactário, banheiros adaptados, despensa e salas de administração, além de área externa para a instalação de brinquedos pedagógicos e parquinho. É um espaço completo para os alunos terem toda a infraestrutura necessária para desenvolverem suas habilidades cognitivas”.

Já para os pais, que acompanham a obra desde o início, a conclusão vai facilitar a vida de quem precisa trabalhar. “Estes investimentos da prefeitura são ótimos porque eu só consegui arrumar emprego depois de colocar ela na escola. Também tenho um bebê e não tinha com quem deixar”, pontuou a costureira Keila Dionísio Roberto, mãe da pequena Luísa Dionísio Roberto, do grupo 2, que começou a estudar na EMEI neste ano.

A comerciante Maria Velani de Jesus dos Reis acompanha o avanço da obra e ficou feliz ao saber da inauguração em breve. “É importante para ajudar quem precisa trabalhar e também uma forma de tirar as crianças da rua”, destacou.

Obras entregues

Desde o primeiro ano de gestão, a prefeitura trabalha para concluir as obras que estavam paradas na administração passada. Logo que assumiu o comando da Capital, em 2017, o prefeito Marquinhos Trad foi à Brasília para destravar os recursos que garantiram a conclusão da EMEI do bairro Tijuca II, a centésima EMEI da Rede Municipal de Ensino (Reme), que recebeu o nome de “Professor Eloy Souza da Costa.

A obra, que na ocasião estava com 84% do serviço concluído, foi entregue à população em agosto daquele ano. O valor total de investimento foi de R$ 2.488.793,01, sendo R$ 1.322.381,91 de recursos do FNDE e R$ 1.166.411,11 de contrapartida da Prefeitura.

Já em 2018, a Prefeitura entregou as EMEIs do Noroeste (R$ 5.817.132,14 com contrapartida da gestão de R$ 3.172,368,32 ), que recebeu o nome de “Professora Elza Francisca de Souza Maciel” e do Centenário (R$ 5.817.132,14 com contrapartida da prefeitura de R$  3.172,368,32), que foi uma transferência de prédio da EMEI do bairro Aero Rancho II e que ganhou o nome de “Professor Valdomiro Alves Gonçalves. Ambas as obras estavam paradas desde 2012.

Também foi inaugurada a escola “Maria Regina Vasconcelos Galvão”, localizada no bairro Varandas do Campos, com capacidade para 500 alunos.

Este ano foi a vez da população dos bairros Nascente do Segredo e Vespasiano Martins ser beneficiada com a inauguração de duas unidades. A EMEI “Professora Elenir Zanqueta Molina (R$ 2.383.038,73 com contrapartida da prefeitura de R$ 1.040.657,00), abrigou as crianças da antiga EMEI  [Prolerzinho_1-768x432] “Nascente do Segredo”, ampliando o número de vagas nos grupos dois e três. Antes, a unidade atendia 83 alunos e com o novo prédio, a capacidade saltou para 120 alunos por período. A obra teve início em 2012, mas sofreu diversas interrupções.

Já a unidade do bairro Vespasiano Martins, batizada de “Zarife Martins França”, estava parada desde 2012 e teve custo final de R$ 2.590.987,61.

A obra da EMEI do bairro Zé Pereira teve inicio em 2012, mas estava parada desde 2016. Na época foi orçada em R$ 2.108.000,00. Com a atualização da planilha de custos, a expectativa é que a obra chegue ao valor final de cerca de R$ 2.500.000,00. O repasse do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) foi mantido no valor de R$ 1.322.000,00 e o restante será arcado pela prefeitura.

Outra obra que já foi retomada, com nova licitação foi a da EMEI Vila Nasser, na divisa com a Vila Marli, interrompida há seis anos, quando 45% do serviço já tinham sido executados e haviam sido gastos R$ 1.316.000,00. Como há um saldo de R$ 759,5 mil  do convênio firmado com o FNDE, a Prefeitura terá de completar com R$ 925,7 mil para garantir R$ 1.685.346.000,00, orçamento da empresa que venceu a concorrência, R$ 440 mil abaixo do preço de referência previsto no edital.

Todas as EMEIs seguem o mesmo padrão da tipologia B estabelecido pelo FNDE, contando com 1.211 metros quadrados de construção, oito salas de aula aulas com solário independente, brinquedoteca, cozinha, lactário, banheiros adaptados, despensa, salas de administração e área externa para a instalação de brinquedos pedagógicos e parquinho. A capacidade é para 120 alunos por período.

[Professora Elza Francisca de Souza Maciel] Este ano a Prefeitura também deu início às obras da escola do bairro Vila Nathália (região do Bairro Celina Jallad), que contará com 12 salas de aulas e vai oferecer em torno de 720 vagas da Pré-Escolas ao 9º ano. A construção da escola tem recursos assegurados há quatro anos,  quando foi firmado convênio com o FNDE para o repasse de R$ 3.423.368,88.

A secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, frisou que a entrega de cada obra paralisada representa mais um compromisso cumprido pela gestão para atender as demandas da Educação. “Ficamos muito felizes em cada entregar porque sabemos da necessidade dos pais e a população pode ter certeza que as crianças estão sendo atendidas por profissionais capacitados e dedicados”, enfatizou.

Prédios alugados

Além das obras retomadas pela prefeitura, a Semed alugou três prédios que também contribuíram com a ampliação de vagas na Reme e garantindo a permanência das crianças na escola.

A primeira EMEI que começou o ano oferecendo maior conforto aos alunos foi a “Marcos Roberto”, que teve o prédio alugado ainda no final de 2017, garantindo tempo hábil para as reformas necessárias, que permitiram a ampliação de vagas de 40 para até 80 alunos.  O prédio conta com área externa, cozinha e salas de aulas amplas, banheiros com acessibilidade, salas de recreação e refeitório.

Também foram alugados prédios para a implantação da EMEI Santa Fé, localizada no bairro do mesmo nome e para a criação da primeira EMEI do Distrito de Anhanduí. A EMEI Santa Fé começou a atender em junho e tem capacidade para atender 250 crianças. O prédio passou por uma reforma geral e conta com nove salas, cozinha, refeitório, despensa, lavanderia, sete banheiros, incluindo um  banheiro adaptado, sala de professores, coordenação, direção e administrativo.

Na área externa, dois parquinhos, além de solários que promovem a interação entre os alunos e um espaço para atividades de artes.

 Já em Anhanduí, a prefeitura atendeu um pedido antigo da comunidade local e inaugurou, este ano, a primeira Escola Municipal de Educação Infantil com capacidade para 150 alunos e que recebeu o nome de “Professor Alberto Guilherme Batistoti”. O prédio onde funcionava a sub-prefeitura do distrito foi alugado e reformado pela Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura  e  Serviços Públicos).

A dona de casa Luiza Rosa Silva Lima, deixou a fazenda em que morava e trabalhava com a família para residir em Anhanduí e contou que não teria condições de levar o filho João Vitor, 3 anos, para estudar em outra cidade. “Ele estudava em Nova Alvorada e eu não queria que ele parasse de frequentar a escola. Gostei muito do espaço daqui e das salas de aulas que são grandes”, afirmou.

A prefeitura fez uma readequação total nos espaços, criando quatro salas de aula com banheiros individuais e adaptados, cozinha, lavanderia, sala para direção e coordenação, recepção, secretaria, almoxarifado, dispensa e área externa com parquinho.

 

Veja Também

PROCON realiza fiscalização em lojas do Shopping Três Lagoas
Anhanduí recebe nova viatura do Samu
Região das Moreninhas organiza mega ação de combate ao Aedes aegypti
Três Lagoas disputa 1ª Copa Sul Americana de Futebol Infantil no Paraná
Naviraí realiza missa de 3 anos do falecimento de ex-vice-prefeito
Feicc apresenta a lojistas novidades em calçados para crianças e adultos
PMA de Dourados prende pescador por pesca de 21 kg de pescado durante piracema
Ação da Energisa oferece benefícios aos consumidores de Anastácio e Aquidauana
Projeto Movimenta Campo Grande entra no combate à dengue
Criado em Dourados dia municipal de combate à corrupção