Menu
18 de junho de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Imposto

Prefeitura da Capital reclama de partilha do ICMS

Poder Público afirma que repasse para 2017 terá crescimento nulo em relação a este ano

28 Out2016Da redação15h36

A prefeitura de Campo Grande divulgou nota nesta sexta-feira, 28 de outubro, na qual reclama que apesar de previsão de aumento, o Governo estadual anunciou IPM com prejuízo para Capital. IPM é o Índice de Participação que determina a distribuição de 25% da arrecadação do ICMS para os municípios, ele é estabelecido pelo Governo do Estado, calculado pela média dos últimos dois anos.

Em Campo Grande, o IPM de 2016 foi de 21,5338. Em 30 de junho, o governo publicou o índice provisório para 2017, como sendo de 22,9253 (6,46% maior). Porém no dia 27 de outubro foi publicado o índice definitivo de 21,6061, resultando num crescimento praticamente nulo em relação a 2016 (0,34%).

Quando o índice provisório foi publicado, alguns municípios entraram com ação discordando, em função disso, Campo Grande teve reconhecido um acréscimo no valor adicionado da arrecadação de R$ 1.002.709.173,63. Todavia, Corumbá teve um acréscimo de R$ 5.731.773.207,43 e Maracaju R$ 505.693.435,10, fazendo com que o índice de Campo Grande diminuísse 6% em relação ao provisório publicado em junho.

Para que ocorra uma mudança tão significativa no IPM é preciso que a arrecadação do município seja impactada por novas indústrias ou por um crescimento econômico substancial, o que na opinião de especialistas do setor não ocorreu neste municípios que tiveram acréscimo substancial.

"Agora as equipes econômicas e jurídicas de Campo Grande estudam quais medidas tomar em relação a esta diminuição do IPM, para que o município não seja novamente prejudicado por decisões aparentemente políticas, pois pelos dados apresentados, o Estado teve um crescimento de 1,77%, Corumbá de 37%, Ponta Porã de 90% e Aquidauana de 56%, enquanto neste mesmo período, Campo Grande e Dourados tiveram variação negativa de atividade econômica, de - 15% e -14%, respectivamente, o que não corresponde à realidade."

Outro lado - A redação não localizou ninguém do governo estadual até a publicação desta matéria. Hoje é ponto facultativo nas repartições em função do dia do Servidor Público.

Veja Também

Sitiante é autuado por manter macaco-prego em cativeiro
Anvisa suspende venda de fraldas Huggies Turma da Mônica
Colisão frontal mata duas pessoas em rodovia
Simted rejeita proposta feita pela prefeitura de Corumbá
Governo do Estado promove 113 PMs a sargento
Campanha do Agasalho do Judiciário é prorrogada até o dia 10 de julho
Castração de gatos no CCZ deverá ser agendada presencialmente
Empresário sugere proibição de fogos de artifício com ruído
Deficientes poderão ser isentos de taxa de inscrição em concursos
Projetos proíbem cursos de graduação a distância na área da saúde