Menu
25 de abril de 2018 • Ano 7
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Neto
Mega Banner Governo do Estado - Gestão por Competência
100 dias

Marquinhos diz não ter motivo para festa

Na coletiva prefeito diz que por enquanto está colocando a casa em ordem

10 Abr2017Laureano Secundo11h30

“O dia não é festa, não há motivo para comemoração”. Estas afirmação do prefeito Marquinhos Trad (PSD) deu o tomo da entrevista coletiva convocada para marcar os primeiros 100 dias da atual administração  da Capital. Com muito pouco em termos de realizações o prefeito teve que apresentar um levantamento sobre  as ações , que, segundo ele marcaram a recuperação administrativa  da cidade.

Operação Tapa-Buracos, convênio com o Exército para pavimentação de ruas, a recuperação do status de bom pagador para a Prefeitura de Campo Grande e o pagamento de débitos deixados pela administração anterior estão entre as principais realizações  anunciadas por Marquinhos Trad. “Essa data dos 100 dias corridos e 60 dias úteis da atual administração é um evento protocolar que apenas nos coloca a obrigação continuarmos o trabalho que deverá ser árduo”, afirmou Marquinhos Trad.

O prefeito Marquinhos Trad  também ressaltou a colaboração dos integrantes da Bancada federal m deputados federais e senadores, que  conseguiram destravar  convênios que estavam emperrados em Brasília. “Se eu pudesse definir estes primeiros dias de administração  utilizaria  três palavras que  seria paz, harmonia e fé que trouxe a tranquilidade para a prefeitura e para a população de Campo Grande”, concluiu o prefeito durante o seu pronunciamento na Esplanada  Ferroviária.

Veja Também

MS tem quatro mortes confirmadas por gripe
Projeto
Cães idosos receberão atendimento em shopping
Rotatória receberá sinalização e semáforos
Projeto de Lei assegura Libras em salas de cinema da Capital
Anvisa proibe uso e venda de lentes de contato coloridas no Brasil
Fazendeiro é multado após desmatar 10 hectares e matas do cerrado
Batalhão de Operações Especiais tem novo comandante
MT convoca aposentados e pensionistas de MS da época da divisão
Corrupção é culpada por drama de paciente na Capital