Menu
21 de julho de 2019 • Ano 8
Diretor de RedaçãoUlysses Serra Netto
Esporte

Praça Belmar Fidalgo ganha acervo de atletismo

Memorial Esportivo Belmar Fidalgo conta com acervos de livros, fotos, troféus e medalhas

12 Jul2019Byanca Santos - Especial para o Diário Digital15h53
(Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)
  • (Foto: Marco Miatelo)

Jovens participantes dos projetos de atletismo e do futebol de Campo Grande conheceram o Memorial Esportivo na Praça Belmar Fidalgo, na tarde de quinta-feira, 11 de julho. Implantado pela prefeitura  em agosto de 2018 com histórias do futebol, o memorial ganhou acervo da modalidade de atletismo.

O Memorial Esportivo Belmar Fidalgo conta com acervos de livros, fotos, jornais, troféus, medalhas e bolas. O Estádio foi o mais importante do município, recebendo equipes e jogadores de futebol da época, os quais fizeram história no futebol brasileiro como: Pelé, Biro-Biro, Éder, entre outros. 

A praça que foi importante para o futebol no Estado, também teve uma pista de atletismo que sediou competições importantes. Para o presidente da Funesp Rodrigo Terra, a visita dos jovens ao memorial é importante para eles conhecerem a história da modalidade deles. “A história do atletismo começou aqui neste espaço, hoje não conseguimos enxergar, pois virou uma praça esportiva, mais no passado era o principal centro de treinamento para o atletismo”, disse Rodrigo.

O espaço teve sua primeira pista construída em 1933 como estádio de futebol e em 1987 tornou-se uma praça esportiva, estrutura que se mantém até hoje. Rodrigo ressalta que muitos jovens não sabiam que havia uma pista na praça e nem que também existia o principal campo de futebol do Mato Grosso e que o Pelé já tinha jogado naquele local.

O primeiro professor de atletismo do Estado, João Batista Ferreira prestigiou o novo acervo do memorial. João Batista veio do interior de São Paulo para o Estado, antes da divisão, em novembro de 1970, para estruturar um curso no Estado.

Durante a solenidade foi lembrado sobre a obra que está em finalização sobre a pista do Parque Ayrton Senna. O atletismo na Capital terá piso emborrachado de padrão internacional e de acordo com o professor João Batista, se não tivessem vivido tudo isso no passado, feito uma história, a pista não seria possível hoje.

Outros nomes que marcaram o atletismo no Estado estiveram presentes no evento. O memorial está aberto para a visitação do público.

Veja Também